Há mais 9 mortes e 1.610 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta segunda-feira, 26 de julho, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

Os novos dados são atualizados na mesma altura em que se prevê que, em breve, os peritos proponham o fim das restrições aos horários de funcionamentos dos restaurantes, lojas e salas de espetáculos. Em alternativa, a expectativa é que se reforce a testagem em massa da população e a adoção do certificado digital, tal como explicou este domingo, 25 de julho, Luís Marques Mendes no seu espaço habitual de comentário semanal na SIC.

Pandemia fez aumentar número de crianças sem vacinas básicas. OMS teme regresso de doenças
Pandemia fez aumentar número de crianças sem vacinas básicas. OMS teme regresso de doenças
Ver artigo

Em cima da mesa estará também a possibilidade de cair a obrigatoriedade de uso de máscaras em certas condições ou terminar com as restrições, tal como aconteceu no Reino Unido, escreve o jornal "Observador". No entanto, Raquel Duarte, investigadora no Instituto de Saúde Público da Universidade do Porto, pede que seja mantida "alguma cautela", apontando para Israel que está a levantar algumas das suas restrições de forma mais lenta e controlada.

"A entrada nesse 'dia da liberdade' deve ser feita em segurança", explica ao jornal "Público". "À medida que a situação vai evoluindo, é natural que a utilização de máscara em ambientes públicos com poucas pessoas e em que seja possível manter a distância deixe de ser obrigatória", continua.

No que toca a ajuntamentos em ambientes fechados, o uso da máscara deverá, no entanto, "ser uma prática corrente".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.