A Barata, um dos mais icónicos espaços de comércio tradicional da Avenida de Roma, tem mais produtos disponíveis dentro da loja: desde vinis, a jogos ou instrumentos musicais. A nova oferta é resultado de uma iniciativa levada a cabo pela Câmara Municipal de Lisboa, que, no âmbito do programa "Lojas com História", desenvolveu um plano de apoio, desafiando a FNAC a unir-se à histórica livraria, com o objetivo de preservar o património "cultural e de cidadania" da loja de rua, que — como tantas outras — enfrenta uma grande crise devido à pandemia COVID-19.

A cadeia de produtos eletrónicos e culturais passa, assim, a integrar o mercado tradicional, "sem concorrência direta nas novas categorias" de produto que introduz na loja da Avenida de Roma, trazendo para o espaço "vinis, produtos de papelaria, jogos, brinquedos, instrumentos musicais, merchandising, equipamentos de som e de telecomunicações", estando também responsável pela "gestão de catálogo e da disponibilização do stock de livros".

Está quase a chegar uma livraria Bertrand a Alvalade
Está quase a chegar uma livraria Bertrand a Alvalade
Ver artigo

Para a FNAC, a  parceria com a histórica livraria vai permitir  explorar "uma localização na qual a marca ainda não está presente, área essa com uma população residente cada vez mais jovem". Mas não só, diz o comunicado enviado às redações: "Esta parceria é mais um esforço da FNAC na sua missão de promover a cultura em Portugal, nomeadamente, o setor livreiro, que tem tido quebra exponenciais no volume de vendas devido às medidas restritivas impostas pelo Governo ara mitigar a propagação do coronavírus responsável pela pandemia COVID-19".

Já para a Barata, esta parceria representa uma "sinergia importante no quadro de um plano mais amplo de reposicionamento da marca e do espaço da livraria, numa aposta de futuro que pretende reestruturar o negócio, aproximando-o de novos públicos e oferecendo novos produtos e atividades", pode ler-se. É, ao mesmo tempo, uma "oportunidade para renovar a sua atitude sem, no entanto, perder ou condicionar os seus valores humanistas e de cidadania, de defesa da Cultura, da Arte e da Educação."

Apesar de no letreiro da livraria já se observar o símbolo da FNAC, a parceria com a FNAC ainda "está a ser terminada". Deverá ser formalmente apresentada no início de 2021, depois de concluída a remodelação do piso -1.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.