Depois de ter tornado pública a sua transição de género, Maria João Vaz, de 54 anos, esteve esta quarta-feira, 18 de novembro, no programa "Casa Feliz", da SIC. " Eu sei que o 'furo' aqui é: o ator do anúncio que agora é uma mulher, mas eu aceitei vir a este programa para dar visibilidade a estas pessoas. Somos todos ser humanos, todos os mesmo diretos, a ser pessoas." explicou.

João Vaz tornou-se conhecido na década de 90 por protagonizar um anúncio de uma campanha da marca de telecomunicações Telecel na qual dava vida a um pastor que dizia a célebre frase "Tou xim? É para mim!". Em conversa com Diana Chaves e João Baião, Maria João explicou que sempre se identificou com o género feminino. "Eu fui sempre uma mulher. Tinha cinco anos e gostava de trocar de sapatos com as meninas, eu queria mais daquilo. Fiz espetáculos para a família, mascarava-me com as roupas do sexo oposto. Com outro amigo, vestia roupas da minha mãe com brincos".

Pastor do anúncio da Telecel agora é Maria João: "Esta é a minha verdade"
Pastor do anúncio da Telecel agora é Maria João: "Esta é a minha verdade"
Ver artigo

No entanto, só em 2018, aos 52 anos, depois de um casamento e três filhas, decidiu iniciar o processo de mudança de sexo. Maria João conta que teve uma adolescência complicada, que não era sociável e tinha poucos amigos. "Eu ficava em casa, não saía e, muitas vezes, precisava destes momentos sozinha para me sentir bem (…) Na adolescência passou de uma coisa pública e brincadeira a ser em segredo, em privado. Todas as roupas femininas que eu apanhava eu vestia", relembra.

Maria João Vaz abordou ainda a sua relação com os pais. "O meu pai era machista. Não posso culpar a minha família porque eles não perceberam nada do que se passava comigo. Nos anos 70 não havia internet, não aparecia pessoas trans na televisão, não havia informação", relembra.

Já relativamente à sua mulher e filhas, o processo foi relativamente fácil. Ao início aceitaram, mas confessa que, com o passar do tempo, começaram a "surgir problemas". "Eu era a figura paternal e portanto aquilo abala os alicerces. A parte pessoal, depressões exteriores". Atualmente, Maria João Vaz garante que é uma pessoa feliz e realizada "Eu sinto-me feliz como nunca me senti antes", afiança. No entanto, realça que, por vezes, sente que "falta compreensão".

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.