O capitão de Abril Otelo Saraiva de Carvalho, morreu este domingo, 25 de julho, aos 84 anos. O responsável pelo setor operacional da Comissão Coordenadora do Movimento das Forças Armadas (MFA) e pela elaboração do plano de operações militares do 25 de Abril de 1974 morreu no Hospital Militar de Lisboa, onde se encontrava internado, avançou este domingo o jornal "Observador", com base na confirmação dada pelo presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço.

Otelo Nuno Romão Saraiva de Carvalho nasceu em Lourenço Marques, atual Maputo, capital de Moçambique, no dia 31 de agosto de 1936. Em 1961, foi mobilizado para Angola, como capitão de artilharia, onde permaneceu em comissão de serviço até 1963.

No dia 25 de Abril, vá à janela e cante "Grândola Vila Morena"
No dia 25 de Abril, vá à janela e cante "Grândola Vila Morena"
Ver artigo

Tendo em conta o percurso militar vocacionado para a tática de artilharia, Otelo Saraiva de Carvalho foi o responsável pela elaboração do plano global do golpe militar que pôs fim à ditadura do Estado Novo, ficando para sempre conhecido como capitão de abril. Após o 25 de abril, chegou a comandante da COPCON (Comando Operacional do Continente) em 23 de junho de 1975 , tendo sido afastado do cargo após o 25 de novembro do mesmo ano.

Ligado à ala mais radical do Movimento das Forças Armadas (MFA), foi preso na sequência dos acontecimentos do 25 de novembro de 1975 e libertado três meses depois, tendo sido candidato às eleições presidenciais de 1976 e às de 1980 — ano em que criou o partido Força de Unidade Popular (FUP).  Cinco anos depois, em 1985, foi preso pelo papel na liderança das FP-25 (organização responsável pelo assassinato de 17 pessoas). Na sequência destes processos, foi despromovido a tenente-coronel.

Em abril de 2019, Otelo Saraiva de Carvalho juntou-se à reunião do "Governo Sombra" para falar sobre revoluções e democracia. Esta terá sido a sua última participação em televisão.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.