Entre todas as medidas que devemos adotar nesta altura de emergência, uma das mais importantes é lavar frequentemente as mãos. E lavar frequentemente as mãos, tanto com sabonete, com álcool ou gel desinfetante, desgasta a pele e pode criar algumas feridas. A MAGG falou com dermatologistas para perceber de que forma é possível minimizar o impacto deste cuidado de higiene indispensável.

9 marcas de cosmética que vendem produtos vegan
9 marcas de cosmética que vendem produtos vegan
Ver artigo

De acordo com a dermatologista Manuela Paçô, o álcool/gel na pele das mãos é lesivo a vários níveis, uma vez que "destrói o filme, ou película hidrolipidica que reveste a pele, permitindo a perda de água e desidratação cutânea". A especialista refere ainda que estes produtos destroem a flora natural de microorganismos sobre a pele e que é necessária para que esta funcione adequadamente como barreira protectora. "Estes factos também têm como consequência maior permeabilidade da pele em relação ao meio exterior", acrescenta.

A dermatologista Susana Vilaça reforça esta ideia. "Nesta fase que estamos a viver é realmente aconselhado lavar várias vezes as mãos. Uma medida necessária para nos proteger a nós e aos outros. No entanto, a superfície da pele vai sofrer danos. A própria água seca a pele para não falar de detergentes e desinfetantes. Os desinfetantes tem a propriedade de desengordurar, que por sua fez destrói o perfil lipídico (e protector) da pele."

A formulação do álcool em gel aumenta a permanência do álcool sobre a pele, o que é útil para atingir o objectivo de desinfecção, mas potencia vários efeitos lesivos para com a pele. 

COVID-19. Guia com dicas para não procrastinar em casa e ser mais produtivo no teletrabalho
COVID-19. Guia com dicas para não procrastinar em casa e ser mais produtivo no teletrabalho
Ver artigo
Numa altura em que o uso desde tipo de produtos é indispensável, Manuela Paçô alerta para formas de minimizar os danos. "A rotina de massajar as mãos com creme emoliente como última coisa antes de deitar é uma boa ajuda. O tempo de sono é a altura do dia em que passamos mais horas sem lavar as mãos". A dermatologista recomenda o uso de creme emoliente neutro, "porque outro tipo de hidratantes não serão tolerados pela pele nessas circunstâncias."
Susana Vilaça aconselha ainda o uso de cremes reparadores e cicatrizantes depois da lavagem.
Para prevenir danos na pele, a MAGG fez-lhe uma lista de cremes, todos eles com a possibilidade de serem adquiridos online, para ajudar a evitar uma pele danificada. Veja as nossas sugestões na  fotogaleria.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.