25 anos depois da morte da princesa Diana, o casamento com o agora rei Carlos III continua a fazer correr rios de tinta e a dar dinheiro a ganhar a muita gente. Em mais um livro que promete revelações nunca antes feitas, o jornalista norte-americano Christopher Andersen reune vários testemunhos de antigos funcionários de Carlos e Diana, que trabalharam junto do casal durante o tempo em que estes estiveram juntos.

Como seria Freddy Mercury se estivesse vivo? E a princesa Diana? Veja as fotos impressionantes
Como seria Freddy Mercury se estivesse vivo? E a princesa Diana? Veja as fotos impressionantes
Ver artigo

Na biografia “The King: The Life of Charles III", um antigo funcionário do rei conta que Diana costumava "atribuir alcunhas e gozar com a obsessão que Carlos tinha com a aborrecida Camilla". Um mordomo do monarca britânico revela que o casamento de Carlos e Diana era "altamente inflamável", ao ponto de o corpo de segurança do casal temer que houvesse violência.

De acordo com a Page Six, que cita excertos do livro, Diana costumava "perseguir, de forma literal, o marido, por corredores, escada acima, de quarto em quarto", para que Carlos tivesse relações sexuais com ela.

"Porque é que não dormes comigo?", terá a princesa perguntado. O filho mais velho da rainha Isabel II tinha, de acordo com o livro, "interrompido de forma propositada a vida sexual com Diana" desde o nascimento do príncipe Harry, em 1984. Numa dessas ocasiões, Carlos terá respondido a Diana: "Não sei, querida. Acho que talvez seja gay".

O livro, o oitavo do jornalista dedicado à família real britânica, recorda várias discussões acesas entre o casal, respostas agressivas e arrogantes por parte de Carlos, mas também da princesa de Gales. "Sabes quem eu sou?", terá dito a Diana. "És um animal do car****. Nunca serás rei! O William vai suceder à tua mãe. Quero ver-te nessa altura!", terá respondido Diana.

O livro, que chega às livrarias a 8 de novembro, contém também com testemunhos de outros membros do pessoal que trabalhou em Highgrove, onde o casal vivia. Um guarda-costas confessou a preocupação com a presença de várias armas de fogo no edifício. "Os detetives responsáveis pela proteção dos membros da família real estavam preocupados que, no calor da raiva, um deles pudesse cometer suicídio, homicídio ou ambos", escreve Andersen.

livro rei carlos III

Carlos e Diana casaram-se em 1981. Tinham 12 anos de diferença e, de acordo com o relato de Andersen, a futura princesa de Gales depressa se apercebeu que o noivo estava apaixonado por outra pessoa. "Consumidos pela raiva e frustração, tanto o noivo como a noiva choraram até adormecerem na véspera do casamento."

“The King: The Life of Charles III" chega às livrarias a 8 de novembro, um dia antes da estreia da quinta temporada da série da Netflix "The Crown", que vai retratar precisamente o fim do casamento de Carlos e Diana.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.