Demi Lovato, de 28 anos, volta a recordar um episódio conturbado da sua vida no documentário "Dancing With the Devil". Desta vez, a cantora norte-americana alega que foi abusada sexualmente pelo seu traficante na noite em que sofreu a overdose, em julho de 2018, e recorda ainda que passou por uma situação semelhante quando era atriz do Disney Channel.

A cantora emocionou-se ao contar o trauma que enfrentou, não só sobre a noite em que sofreu a overdose, mas também no dia em que foi violada na adolescência. "Quando era adolescente, estive numa situação muito semelhante. Perdi a virgindade numa violação", afirmou.

Novo documentário. Demi Lovato revela overdose e conta como sofreu "três AVC e um ataque cardíaco"
Novo documentário. Demi Lovato revela overdose e conta como sofreu "três AVC e um ataque cardíaco"
Ver artigo

Apesar de não revelar quem a abusou sexualmente, confessa que se trata de alguém que fazia parte do elenco de um dos filmes do Disney Channel no qual participou. Demi Lovato popularizou-se no filme "Camp Rock", da Disney, quando tinha apenas 15 anos.

Sobre a overdose por que passou, em 2018, Sirah Mitchell, uma amiga de Lovato, afirma que a cantora terá recebido heroína "misturada com fentanil" naquela noite e acusa ainda o traficante de a ter "deixado a morrer".

"Quando acordei no hospital, perguntaram se tínhamos tido relações sexuais consensuais. Tive um flash dele em cima de mim. Vi aquele flash e disse que sim. Só um mês depois da overdose é que percebi que não estava em condições de tomar uma decisão consensual", partilhou a estrela no seu documentário, que foi apresentado no festival online de South By Southwest.

O documentário, que estreia no YouTube a 23 de março, contará ainda com a presença de amigos e familiares da cantora que falam também sobre a situação. No trailer, que foi partilhado em fevereiro, a cantora já havia feito algumas revelações sobre os três AVC e ataque cardíaco por que passou.

Veja aqui o trailer.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.