A primeira entrevista do duque de Sussex foi transmitida este domingo na ITV. Tom Bradby, jornalista do canal britânico, entrevistou-o na Califórnia, onde Harry e Meghan vivem com os filhos, Archie e Lilibet.

Entrevista de Harry ao "60 Minutes" vai ser emitida em Portugal. Saiba em que canal
Entrevista de Harry ao "60 Minutes" vai ser emitida em Portugal. Saiba em que canal
Ver artigo

Tal como a entrevista ao programa "60 Minutes", da norte-americana CBS, esta conversa acontece no âmbito do lançamento de "Na Sombra", livro de memórias do príncipe, que chega às livrarias a 10 de janeiro. Ao longo de 90 minutos, e tal como detalha no livro, o filho mais novo do rei Carlos III lança acusações que têm como principais alvos a imprensa britânica, em primeiro lugar, e depois a casa real. Harry diz que, desde que iniciou a sua relação com Meghan Markle, foram "plantadas" histórias falsas nos meios de comunicação social tendo como fonte pessoas ligadas à casa real. O príncipe não especifica quem são essas pessoas mas, a determinada altura, afirma que o gabinete de imprensa do pai e da madrasta, Camilla Parker-Bowles, o fizeram.

Confrontado com o relato de uma suposta conversa que terá acontecido com um membro da família real, quando Meghan Markle estava grávida de Archie (relato esse feito na entrevista dos duques de Sussex a Oprah Winfrey, em 2021), Harry diz que nunca houve acusações de racismo. "A imprensa britânica disse isso. A Meghan alguma vez disse que eles eram racistas?", questiona o príncipe. "Havia preocupações sobre a cor da pele dele", salienta. Na altura, a entrevista do casal levou a que o palácio reagisse, num comunicado em nome da rainha. E, nesse comunicado, é usada a palavra 'raça'. "Os problemas levantados, em particular o da raça, são preocupantes. Embora as memórias possam variar, são levadas muito a sério e serão discutidas pela família em privado". Questionado pela imprensa na altura, o príncipe William também usou o termo. "Não somos mesmo uma família racista", afirmou na altura. 

harry meghan entrevista Oprah
Harry e Meghan em entrevista a Oprah Winfrey, em 2021 créditos: CBS

Quase dois anos depois, Harry salienta que nunca acusaram a família de racismo. "Eu não diria que isso é racismo, pensando na minha própria experiência. Há uma diferença entre racismo e preconceito inconsciente. Quando te apontam isso, sejas uma pessoa ou uma instituição, tens a oportunidade de ganhar consciência disso e crescer, para fazeres parte da solução e não do problema. Se não, o preconceito inconsciente cresce e passa a ser racismo", explica.

O príncipe salienta ainda que "nunca" revelará com quem aconteceu essa conversa. "A palavra chave é preocupação, e isso foi perturbador. Mas se falar com qualquer casal birracial, em qualquer parte do mundo, perceberá que, provavelmente, o lado da família branca ou terá falado abertamente ou em segredo sobre qual será o aspecto da criança. E isso faz parte de uma conversa conjuntural que é preciso ser tida. Mas dizer que isso só se passou ali e não se passa no resto do mundo não é verdade", explica.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.