As polémicas com Ye, o artista previamente conhecido como Kanye West, parecem não ter fim. Uma a uma, as marcas com quem o rapper colaborava terminaram os contratos que os uniam. Depois do fim da pareceria milionária com a Adidas, o artista norte-americano terá tentado a sua sorte junto da Skechers e dirigiu-se aos escritórios de Los Angeles da marca sem ser convidado, e acabou expulso das instalações.

“A Skechers não está a ponderar nem tem intenção de trabalhar com West”, justifica a empresa, em comunicado, após Ye aparecer nos escritórios da Skechers, na quarta-feira, 26 de outubro.

Na mesma comunicação, a marca afirmou que Kanye West chegou sem convite e sem aviso prévio a um dos escritórios da empresa. Após uma breve conversa, dois executivos da Skechers levaram o rapper e o grupo que o acompanhava para fora do edifício. “Condenamos os seus recentes comentários de divisão e não toleramos antissemitismo ou qualquer forma de discurso de ódio”, reforçou a empresa.

Kanye West já não é considerado multimilionário. Depois da Balenciaga, Adidas corta relações com o artista
Kanye West já não é considerado multimilionário. Depois da Balenciaga, Adidas corta relações com o artista
Ver artigo

As declarações da Skechers surgem um dias depois da Adidas terminar a colaboração multimilionária com o rapper. “A Adidas não tolera antissemitismo ou qualquer outra forma de discurso de ódio”, escreveu a gigante alemã, na terça-feira, 25, que já trabalhava com Kanye West há cerca de nove anos (desde 2013). A famosa linha de calçado Yeezy, que nasceu em colaboração com Ye, não irá produzir mais peças. 

A polémica com o rapper começou com uma camisola que o mesmo usou durante o desfile da Semana da Moda, em Paris. "White Lives Matter" era a fase que Kanye West levava ao peito, em português, "Vidas Brancas Importam" que contraria o movimento Black Lives Matter que visa proteger a comunidade negra da discriminação racial, que surgiu após a morte de George Floyd, em maio de 2020. 

Kanye West lança nova coleção de roupa. Peças são vendidas dentro de sacos do lixo
Kanye West lança nova coleção de roupa. Peças são vendidas dentro de sacos do lixo
Ver artigo

A situação escalou quando, na rede social Twitter, o rapper proferiu comentários antissemitas direcionados à comunidade judaica e à escravatura. Desde as publicações polémicas, Kanny West está bloqueado no Twitter e no Instagram. 

Antes da Adidas, a primeira empresa a cortar relações com Kanye West foi a Balenciaga, na sexta-feira, 21 de outubro. “A Balenciaga não estabelece nenhuma relação nem planos para projetos futuros relacionados a este artista”, escreveu.

O cantor, que se achava intocável pela indústria, nomeadamente pela marca alemã Adidas, perdeu o seu império no espaço de uma semana depois de perder uma fortuna de 1,5 mil milhões, já não é considerado multimilionário. 

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.