Não, o alegado vídeo não é "novo", no sentido em que não conta com imagens íntimas recentes. De acordo com o jornal "The Sun", Ray J, o ex-namorado de Kim Kardashain que participou na sex tape divulgada em 2007, está a planear vender mais registos de teor sexual, que contam com a presença da socialite, com o principal intuito de ganhar milhões de dólares.

Kim Kardashian sobre fim do casamento com Kanye West. "Sinto-me uma falhada"
Kim Kardashian sobre fim do casamento com Kanye West. "Sinto-me uma falhada"
Ver artigo

Em causa está uma suposta "segunda parte" da primeira sex tape de 41 minutos, comercializada pela Vivid Entertainment, em 2007, sob o título "Kim Kardashian: a Super Estrela". O conteúdo do vídeo, presente nas supostas duas sex tapes, terá sido gravado em 2002, quando Kim e Ray ainda namoravam, e estavam a celebrar o aniversário da empresária no Cabo San Lucas, no México. 

O advogado de Kim Kardashian já negou a existência de uma segunda sex tape, através de comunicado enviado à TMZ, em 2021. No entanto, esta segunda-feira, 11 de abril, o jornal "The Sun" revelou declarações exclusivas de uma alegada fonte próxima da socialite que confirmam o contrário.

"Kim sabe que Ray J tem mais gravações de ambos. Algumas delas nas quais o conteúdo é incrivelmente íntimo", lê-se. De acordo com a mesma publicação, Kim está disposta a proteger a família "a todo o custo" e já tem uma equipa de advogados alocada ao processo. "Só por cima do meu cadáver é que isto volta a acontecer outra vez", terá dito.

Ex-empresário de Ray J confirmou ter na sua posse conteúdo "mais gráfico e melhor"

As alegadas declarações de Kim Kardashian só foram reveladas esta segunda-feira, 11, mas os rumores de que existe uma segunda sex tape já são antigos. E remontam, principalmente, a 2021.

À data, Wack 100, ex-empresário de Ray J, revelou no podcast "Bootleg Kev" que tinha uma "segunda parte" de cenas íntimas de Kim e Ray. Alegou que as imagens em causa "nunca foram vistas" e que são "mais gráficas e melhores do que as outras". 

No entanto, na altura, Ray J, agora suspeito de ameaçar divulgar novos conteúdos, chegou a condenar os comentários do ex-empresário. "Como posso mostrar crescimento e maturidade se este tipo de coisa continua a acontecer?", questionou, em declarações à "Page Six". "Sou pai agora. O meu papel é ser um ótimo pai e colocar os meus filhos em primeiro lugar. Essa não é a mensagem que quero passar", acrescentou.

Dias depois, o advogado de Kim negou a existência de novas imagens nunca antes vistas. "As afirmações de que há um vídeo de sexo por mostrar são inequivocamente falsas", disse Marty Singer, advogado de Kim, à TMZ, através de um comunicado. "É uma pena que pessoas façam este tipo de declarações para conseguir os seus cinco minutos de fama", rematou.

Já este ano, Kanye West, ex-marido de Kim, voltou a tocar no assunto

Kim Kardashian deu início ao processo de divórcio com Kanye West em fevereiro deste ano, mas em janeiro, quando o casal já estaria separado, o rapper confirmou ter visto novas imagens de teor sexual protagonizadas pela ex-mulher. Em conversa com o apresentador Jason Lee, no programa "Hollywood Unlocked", o rapper alegou ter adquirido um computador que contém gravações com conteúdo sexual nunca divulgados de Kim Kardashian com o ex-namorado Ray J, datadas de 2002.

Acabou. Kim Kardashian pede o divórcio a Kanye West após 7 anos de casamento
Acabou. Kim Kardashian pede o divórcio a Kanye West após 7 anos de casamento
Ver artigo

"Depois de ter ido buscar o computador ao Ray J, eu próprio, naquela noite, vi o que estava lá", começou por explicar. "Ela [Kim] chorou quando viu", disse. "Sabem o motivo para ter chorado? Porque aquilo representa o quanto foi usada. Representa as pessoas que não a amavam e que apenas a viam como mercadoria", acrescentou.

Kim Kardashian não tardou a reagiu às alegações do ex-marido. "Após confirmarmos, não havia nada sexual, apenas filmagens no avião a caminho do México e filmagens num clube e restaurante na mesma viagem", avançou a representante da empresária."Kim continua firme na sua crença de que não existe uma segunda sextape. Depois de 20 anos, ela deseja seguir em frente desse capítulo com foco nas coisas positivas que continua a fazer como mãe, empreendedora e defensora da justiça", rematou.

A sex tape comercializada pela Vivid Entertainment foi divulgada em 2007, ano em que estreou a primeira temporada de "Keeping Up With The Kardashians".

À data, Kim ainda ameaçou processar a produtora audiovisual por divulgar as gravações sem o seu consentimento, mas acabou por desistir do processo depois de Joe Francis, amigo próximo da família, a ter ajudado a lucrar cerca de 5 milhões de dólares (4,4 milhões de euros) com a sua  distribuição, avança o "Daily Mail".

Kim Kardashian e Ray J continuam sem tecer quaisquer comentários oficiais acerca do tema.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.