Localizado na Praia de Carcavelos, A Pastorinha é um dos mais icónicos restaurantes da linha de Cascais. Conhecido pelo seu serviço de luxo, este espaço contrasta com os restaurantes de "conceito" que nascem em cada esquina, e leva-nos de volta para um tempo em que os almoços e jantares demoram tempo e todos os pratos chegam num clássico carrinho, onde o simpático staff nos arranja o peixe, nos emprata a carne e nos tenta com sobremesas fabulosas.

Aproveitámos que o desconfinamento já permite a abertura dos restaurantes (quase) sem restrições, e fomos almoçar a este conhecido restaurante para tirar todas as dúvidas: a fama d'A Pastorinha ainda é justificada e continua a servir o peixe e marisco mais fresco da região ou nem por isso?

Crítica. A pizza do Igor demora 48 horas a chegar ao forno. Mas a espera vale tãooo a pena
Crítica. A pizza do Igor demora 48 horas a chegar ao forno. Mas a espera vale tãooo a pena
Ver artigo

Para começar, importa dizer que há logo uma facilidade que nos conquista à chegada. Com os parques de estacionamento de apoio à praia bem compostos —  principalmente assim que o calor chega — e sendo pagos, quem vai almoçar ou jantar n' A Pastorinha não tem de se preocupar com nada. Basta entregar as chaves ao funcionário à porta do restaurante que se encarrega de estacionar o carro, sem custos adicionais. Ponto (mais que) positivo.

pastorinha
Se o tempo permitir, almoce na esplanada com vista para o mar. créditos: Antonio

Com as mesas com distanciamento para garantir a segurança dos clientes, agora a esplanada do restaurante já funciona em pleno para servir refeições, sendo uma alternativa para os dias de maior calor — e menos vento, que nem sempre é agradável tentar comer uma bela sapateira e levarmos com a casca na cara.

Acidentes à parte, abrimos o almoço com um queijo de cabra fresco com orégãos (6,50€) e pãozinho fresco que seria o complemento perfeito para a entrada: umas amêijoas à Bulhão Pato (19€). Recomendadas pelo funcionário que atendeu a MAGG, não conseguimos encontrar nada de negativo a apontar. As amêijoas eram frescas e gordinhas, nem um grão de areia encontrado e um molho que só por vergonha não pedimos mais um cesto de pão para o terminar.

ameijoas
Ainda estamos a pensar nestas deliciosas amêijoas. créditos: DR

Num restaurante tão conhecido pelo seu peixe fresco, a escolha de prato principal não podia ser outra que peixe grelhado — sendo que todos os peixes podem ser servidos também cozidos, fritos, no sal ou até no pão. Optámos pelo pregado (56€ ao quilo), que nos chegou nos clássicos carrinhos que nos fazem sentir numa qualquer telenovela da Globo.

E para acompanhar? Tudo e mais alguma coisa. Batata cozida e a murro, feijão verde, brócolos e cenoura. Para além do azeite, ainda nos arranjam um molho de manteiga delicioso preparado na hora, com um travo a limão. E sim, sabemos que já temos idade para arranjar o peixe, mas querem chiqueza maior que o fazerem por nós e com uma perícia que nos coloca uma posta perfeita no prato, com a batata mesmo ao lado e temperado na perfeição? Não existe.

Crítica. Esqueça a tosta mista — a de rosbife da Sala de Corte é a melhor que vai comer na vida
Crítica. Esqueça a tosta mista — a de rosbife da Sala de Corte é a melhor que vai comer na vida
Ver artigo

Ainda antes da sobremesa, e no que diz respeito ao prato principal, não há dúvidas: A Pastorinha, espaço que desde 2017 é gerido pelo grupo hoteleiro Sana, continua a merecer toda a fama que tem, bem como o preço um pouco mais elevado que outros restaurantes igualmente conhecidos pelo peixe fresco e marisco. Os ingredientes são de excelência, a comida é cozinhada de forma irrepreensível, e aqui o segredo está nos detalhes que nos conquistam, desde o não perder tempo a estacionar o carro à forma como nos servem.

pastorinha
O arroz de marisco (48€ para duas pessoas) também é um clássico do restaurante. créditos: Antonio

E se mais provas fossem necessárias, conquistam-nos completamente com a atenção na parte das sobremesas. Com variadas opções que agradam à vista no clássico carrinho, ficámos indecisos entre o bolo de bolacha e o de chocolate com nozes (6€ por qualquer sobremesa no carro). A solução? Servir uma fatia (não tão) fina das duas, que nos permitiu decidir que o bolo de bolacha leva a melhor.

Serviço impecável, comida fabulosa. É oficial: A Pastorinha ainda é o que era — e parece que só melhora com os anos.

Morada: Praia de Carcavelos, Avenida Marginal, Carcavelos, Cascais
Telefone: 214 571 892
Horário: 12h-22h30 (ao domingo, não abre para serviço de jantar)

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.