Ao longe parece uma casa de habitação, mas quando se chega perto do Cafezique, em Loulé, percebe-se que é antes uma casa que nos acolhe com boa comida. No piso térreo, por cima da porta de entrada, é anunciado ao que vamos e  avistamos um rooftop que, à noite, é iluminado pelas estrelas e pelas luzes que lembram os arraiais de verão. Sobre o interior pouco mais se sabe, mas  fomos descobrir.

Café Zique
Café Zique créditos: instagram

Desde 17 de janeiro de 2020 que se serve comida de autor no Cafezique, neste caso do chef Leandro Araújo, de 35 anos, num ambiente relaxado, com pratos fine dining. O conceito está muito na moda, embora este não vá por tendências e siga a tradição dos produtos e sabores portugueses.

"É uma cozinha criativa, contemporânea, onde a base são os pratos tradicionais portugueses. Queremos demonstrar um bocadinho de norte a sul do País, tanto na parte da cozinha, como na parte dos vinhos", explica à MAGG João Valadas, 32 anos, formado pela Wine and Spirits e Court of Master Sommeliers e escanção no restaurante (profissional especializado em vinhos nos restaurantes).

Hide Pool Club. O novo espaço no Algarve que serve ostras e mojitos à beira da piscina
Hide Pool Club. O novo espaço no Algarve que serve ostras e mojitos à beira da piscina
Ver artigo

Uma vez na mesa, o melhor é levar boa companhia para partilhar cada iguaria deste restaurante — nunca menos do que cinco petiscos e pratos, sendo que há quatro imprescindíveis.

O couvert (4,40€), com pão de fermentação natural, é "sem dúvida alguma" um dos obrigatórios, bem como o pastel de massa tenra (5,60€ por unidade), que no Cafezique é qualquer coisa de outro mundo. "Fazemos com polvo de Santa Luzia, cozido, grelhado e envolvido em caril verde e leite de coco, depois com maionese de caril verde e ovas de polvo grelhado raladas por cima da maionese", descreve João Valadas.

Também não pode sair sem provar o arroz negro de Alcácer do Sal, com lula grelhada, torresmos do rissol e shiitake de São Brás (17,90€). Por fim, a sobremesa que se destaca: o pudim Abade de Priscos (sem toucinho), com queijo azul e três texturas de maçã, puré, fresca e desidratada (6,90€).

Menu de degustação de nove momentos com um especial: o pão

Apesar de ter nome de café, o Cafezique funciona como restaurante que também serve menus de degustação (75€ menu, com harmonização de vinhos por mais 38€). É composto por nove momentos e após a descrição do João fica difícil escolher qual deles nos deixa com maior vontade de provar.

"Começamos com os nossos peixinhos da horta, um mini pastel de massa tenra de polvo de Santa Luzia, passamos para as nossas ostras da ria Formosa, cavala, escabeche e batata doce, e depois passamos para o brioche de fermentação natural", diz João Valadas — e fazemos uma pausa neste ponto.

O brioche — feito com base de manteiga fermentada de kefir resultando num pão leve, fofo e com grande intensidade de sabor — merece uma atenção especial, não só porque é famoso no Cafezique , como pelo facto de este momento ter uma particularidade: o vinho.

"Aparece no meio, no momento do pão, só que temos algo específico", refere João. "No momento do brioche sirvo um vinho da zona de Sintra que tem uma intensidade mineral salgada que acompanha a intensidade do brioche. Por acaso é dos momentos que mais gosto de fazer", revela o escanção. Para barrar no brioche, há manteiga fermentada com kefir e leite torrado e azeite extra virgem.

O menu de degustação segue com gamba rosa, anchova dos Açores com três texturas de feijoada, carne de porco preto do Zambujal e a chegar à reta final, é servido um Dom Rodrigo e uma sobremesa de chocolate e azeitona verde — receitas que vêm de toda a parte de Portugal e são 100% confecionadas no Cafezique desde raiz.

João e Leandro passaram pelo restaurante São Gabriel, em Almancil, com uma estrela Michelin, uma escola de onde trouxeram a experiência de trabalhar com os requisitos de um espaço premiado. O Cafezique não trabalha para a estrela, apenas para bem receber o cliente. "O mais importante para nós é fazer bem feito e a satisfação do cliente. A estrela Michelin é uma pressão completamente diferente. Não é que não seja ambicionada, como é obvio, mas não é o foco principal", refere João.

O Cafezique funciona apenas ao jantar, que pode ser servido no interior do restaurante ou no rooftop. Uma vez que o restaurante está na zona histórica de Loulé, do terraço com luzinhas veem-se vários monumentos da cidade, como as muralhas do Castelo e a Ermida de Nossa Senhora da Piedade (Mãe Soberana). É o spot ideal para aproveitar um jantar especial no verão, acompanhado dos petiscos ou pratos com harmonização vínica do menu de degustação de nove momentos — ainda que leve daqui muitos mais.

Café Zique

Localização: Rua das Bicas Velhas N°5, 8100-551 Loulé, Algarve, Portugal
Reservas: (+351) 289 043 931/ cafeziquept@gmail.com
Horário: de segunda-feira a sábado das 18h30 até 22h30

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.