Estes dois não param. Primeiro, abriram o Kitchen Dates, o único restaurante sem desperdício do País. Depois, aprimoraram o take away e, por conta própria, andavam numa mota a distribuir a comida que nunca tinham pensado servir em caixinhas. Inventam queijos novos, fazem pão, fermentam e, mais recentemente, decidiram que o trabalho não podia ficar preso às fronteiras do restaurante e prepararam uma sopa solidária para distribuir pela famílias carenciadas de Carnide.

Maria e Rui não param nesta luta que assumiram como deles: a do combate ao desperdício alimentar. E, como tal, inventaram mais uma: convidar chefs de outros restaurantes para o desafio de, juntos, cozinharem uma refeição com produtos que, de outra forma, iriam para o lixo.

A ideia surgiu exatamente quando foram à Miosótis, a parceira da criação da sopa solidária. É de lá que vêm os legumes que iriam ser descartados, por já estarem a amarelar, a murchar ou por terem defeitos. "Sabíamos que queríamos fazer mais com aquele excedente", conta Maria à MAGG, "e mais do que solidariedade, queríamos chegar às pessoas que ainda possam estar desligadas desta realidade".

Kitchen Dates. Já abriu o restaurante onde só há uma mesa e nenhum caixote do lixo
Kitchen Dates. Já abriu o restaurante onde só há uma mesa e nenhum caixote do lixo
Ver artigo

Foi assim que surgiu a ideia de convidar chefs de outros restaurantes para que juntos preparassem uma refeição vegan, sem desperdício e feita maioritariamente a partir de excedentes do supermercado Miosótis.

Como esses produtos só vão estar disponíveis pouco tempo antes da hora do jantar, vai ser uma surpresa para quem o vai comer, mas também para quem o vai preparar. A imaginação gastronómica vai ser posta à prova.

Miguel Peres
Miguel Peres, chef do Pigmeu

O primeiro a alinhar nesta aventura foi Miguel Peres, proprietário e chef do restaurante Pigmeu, em Campo de Ourique que, que, ainda que se dedique à carne, sabe aproveitar o animal ao máximo e faz questão de trabalhar apenas hortícolas que chegam de pequenos produtores.

O primeiro jantar acontece a 14 de outubro e o menu é fixo, feito de seis momentos — três preparados pelos Kitchen Dates, outros três pelo chef convidado. Tem o custo de 25€ e a água é, como sempre, por conta da casa (outras bebidas não incluídas). Devido aos constrangimentos de espaço e de segurança, pode reservar em dois horários — 19h ou 21 horas — e optar por sentar no interior ou na esplanada.

"Estamos a planear fazer um por mês", avança Maria Inês, sem precisar datas nem próximos convidados. Mas garante que serão de todas as áreas e de todas as idades, por isso, conte com surpresas.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.