Esta terça-feira, pelas 17h, todos os olhos vão estar postos no Portugal-Hungria, a primeira partida da Seleção Nacional no Euro 2020. A equipa liderada por Fernando Santos vai estrear-se em casa dos adversários, em Budapeste.

Il Gallo d'Oro. E se um chef com duas estrelas Michelin cozinhasse só para si?
Il Gallo d'Oro. E se um chef com duas estrelas Michelin cozinhasse só para si?
Ver artigo

Esta é razão mais do que suficiente para descobrir o lado mais gastronómico desta cidade, que desde os anos 2000 deu ânimo à tradição gastronómica da Hungria. Miguel Rocha Viera, chef português, é um dos maiores impulsionadores desta tendência, estando à frente de duas cozinhas com estrelas Michelin em Budapeste: o Costes e o Costes Downtown.

Mas há mais restaurantes "estrelados" na cidade. Desde a sopa de peixe com paprika tradicional às sobremesas cuidadas, descubra quatro dos mais populares espaços com estrela Michelin em Budapeste.

Costes Downtown

Se é fã do chef Miguel Rocha Vieira e já acompanhou as várias edições do "MasterChef Portugal" (cujo regresso à RTP foi anunciado recentemente), o nome Costes não lhe deve ser estranho. Em 2008, o chef português abriu o seu primeiro restaurante em Budapeste e, dois anos depois, o Costes ganhava a sua primeira estrela Michelin.

Miguel Rocha Vieira
créditos: Instagram

Esta primeira estrela foi o início de da evolução gastronómica da cozinha húngara e, devido à popularidade do restaurante — que fazia com que estivesse sempre reservado com muita antecedência —, o grupo Costes resolveu abrir um segundo espaço em 2015, o Costes Downtown, mais casual do que o conceito original, mas também liderado por Miguel Rocha Vieria, que repetiu a façanha: em 2016, o Downtown recebia uma estrela Michelin.

Atualmente, se visitar o site do Costes original, é informado que o restaurante se encontra encerrado por tempo indeterminado devido às contingências da COVID-19, mas mantém o menu de entregas em casa. No entanto, o "irmão mais novo", o Costes Downtown, encontra-se de portas abertas no piso térreo do elegante Prestige Hotel.

Costes Downtown
Um dos momentos dos menus de degustação. Instagram

Enquanto que ao almoço são servidos pratos mais casuais, ao jantar o espaço funciona com vários menus de degustação, que podem ser tradicionais, sem glúten ou vegetarianos, e são compostos por quatro, cinco ou seis momentos. Podem ser acompanhados por uma maridagem de vinhos, cervejas artesanais ou cocktails sem álcool. Os preços dos menus de degustação começam nos 72€, aproximadamente (25.500 forints húngaros, na moeda nacional da Hungria), para a opção de quatro momentos, sem bebidas incluídas, e as reservas devem ser feitas para o reservations@costesdowntown.hu.

Babel Budapest

A ideia de "menos é mais" nunca fez tanto sentido como no Babel Budapest, que ganhou a sua estrela Michelin em 2019. Com apenas 12 mesas, este restaurante na baixa de Budapeste oferece pratos inspirados na Transilvânia, inseridos numa experiência de fine dining — ou não fosse o chef István Veres natural desta região da Roménia.

Babel
O chef István Veres é romeno e natural da região da Transilvânia. créditos: Instagram

De acordo com o site Off Beat Budapest, dedicado à cidade húngara, o prato que mais se destaca no menu de degustação de cinco momentos servido no restaurante é o tojásos nokedli, uma espécie de dumplings de ovo, que são servidos com creme de ovo com trufa.

Babel
O restaurante tem 12 mesas, no total.

Para além do menu de cinco momentos, que ainda conta com pratos como o polvo com paprika e bacon ou o cordeiro com queijo caseiro e vegetais, existe outro de dez momentos que inclui bife tártaro, e ainda um de sete momentos, totalmente vegetariano. Os preços dos menus começam nos cerca de 85€ (29.900 forints húngaros), sem bebidas.

Vamos à má notícia? Devido às contingências da COVID-19, o Babel Budapest permanece encerrado, mas promete voltar em breve.

Stand

Na Hungria, Szabina Szulló e Tamás Szél são uma dupla de chefs elevados ao estatuto de celebridades. Depois de abrirem o Stand 25, um restaurante que rapidamente entrou para a lista dos mais populares de Budapeste, Szabina e Tamás resolveram apostar num segundo espaço, que tal como o seu antecessor, foi um sucesso quase imediato.

Stand
A dupla de chefs ganhou uma estrela Michelin para o Stand em 2019. créditos: Instagram

No Stand , que ganhou uma estrela Michelin em 2019, menos de um ano após a sua abertura, o conceito é de fine dining, com muitos clássicos da cozinha húngara (e não, não estamos a falar dos biscoitos de manteiga com chocolate) como a sopa de peixe, cuja principal característica é ter um caldo vermelho devido à paprika. No Stand, é servida com massas tortellini e carpa fumada.

Stand
Nada é deixado ao acaso, dos pratos principais às sobremesas. créditos: Instagram

Os menus de degustação são servidos ao almoço e jantar, sendo que, de dia, são mais curtos (entre 40€ e 55€). Ao jantar, o menu de oito momentos (disponível por 110€ por pessoa, sem bebidas) é o mais comum. O restaurante recomenda que reserve a sua mesa cerca de dois meses antes. Saiba mais através do e-mail info@standrestaurant.hu.

Borkonyha

Se está à procura de comida tradicional húngara, este não é o restaurante para si. Se, pelo contrário, o que lhe agrada é a experiência de fine dining com todo o detalhe e perícia, pode colocar o Borkonyha na sua lista de restaurantes com estrela Michelin a conhecer.

Borkonyha
O restaurante é um dos mais caros da cidade de Budapeste. créditos: Instagram

Mas apesar do menu de degustação não faltar neste restaurante da baixa de Budapeste — com cinco momentos e pratos que vão variando (75€ por pessoa, sem bebidas) —, existem vários pratos à carta, como o foie gras com vinho doce tradicional (aszú), um clássico que é servido no restaurante desde 2010, o ano da sua abertura.

O Borkonyha conta ainda com uma seleção de vinhos húngaros que ultrapassa os 200 rótulos e é um dos restaurantes mais caros da cidade. Mas isso não impede que seja também um dos mais concorridos, o que só salienta a necessidade de reservar mesa.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.