Batatas fritas carregadinhas de molho. Mas daquelas batatas que, por muito molho que tenham, se mantêm sempre estaladiças.

O estômago bate palmas, ignorando os níveis de colesterol. Mas, vá lá, não é comida para todos os dias e todos nós merecemos este conforto em forma de prato tradicional do Canadá.

É do Quebec que vem o poutine, este prato tradicional que Nadia Amirali e o marido adotaram como negócio. Começaram há mais de um ano com uma food truck em eventos, até para testar o público. "Adoravam e perguntavam sempre onde era o nosso restaurante", conta Nadia à MAGG.

Com este tipo de feedback, não tardaram a avançar para um espaço físico, o Poutine, a funcionar no Mercado de Campo de Ourique.

É lá que servem as famosas batatas fritas com toppings. "Mas não pensem que é ketchup ou maionese", garante Nadia que, antes de escolher as batatas que ia servir, experimentou inúmeras variedades. "Posso garantir que não ficam moles com os toppings e, no take away, a consistência mantém-se". Isto porque desde o início e muito graças à pandemia, estão também disponíveis na Glovo e na Uber Eats.

Poutine
O conceito começou por ser apenas uma food truck em eventos. Agora é também um restaurante e estão previstas novas aberturas para breve.

Mas vamos então saber como é que estas batatas são servidas. Se escolher o Clássico, conte com mozzarella e sour cream (6,99€), mas se for para o FullyGo, o nivel sobe para batatas com mozzarella, cheddar, hot dog sausage e pepperoni (8,99€). Há ainda toppings com bacon, cebola frita, chilli com carne ou molho de cogumelos.

Ainda que esta dose seja mais do que suficiente para uma refeição, criaram uns extras para quem as batatas possam não ser suficientes. É o caso das chamuças, que podem ser de frango ou de vegetais (2€), os mozzarella bites (4,99€) e as asas de frango crocantes (5,99€).

Ainda em agosto, o Poutine passa a ocupar uma das food trucks da zona ribeirinha, em Belém, e está para breve a abertura de novo espaço no Saldanha. No mercado de Campo de Ourique, o restaurante está aberto das 12h à meia-noite.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.