Depois de uma manhã a passear por Évora, a aragem que nos acompanhou pela fresca começou a desaparecer à medida que chegava a hora de almoço. Com check in marcado às 14h, o caminho do centro até ao Évora Hotel — cerca de 5 minutos de carro — foi de ar condicionado no máximo e com um pensamento na cabeça: "Só queremos chegar à piscina". Verão que é verão, ainda por cima no calor exigente do Alentejo, a piscina tem de estar incluída durante as férias e o hotel de quatro estrelas, com vistas para a planície alentejana ou para a piscina, cumpre com esse requisito.

Ao chegar, não ficámos especialmente atraídos pela fachada de tons terra carregados e um aspeto que nos remonta aos anos 90. Contudo, mal entrámos no lobby, parecia que tínhamos passado para um hotel acabado de abrir — o que não está assim tão longe da verdade. O Évora Hotel, com mais de 30 anos, reabriu em maio após um período de encerramento devido à COVID-19 e voltou com lobby, restaurante e terceiro piso de quartos totalmente renovados.

Os espaços comuns estão agora com mais luz, mais modernos e são locais onde apetece sentar para beber um dos vários vinhos alentejanos que fazem parte da decoração das paredes do bar e também se encontram na wineshop (para levar para casa um bocadinho do que há nas refeições principais).

Na era anterior à COVID-19, o hotel era predominantemente focado na área de negócios, tendo para o efeito várias e amplas salas de reuniões, conforme explicou à MAGG o dirigente do hotel, Miguel de Mello Breyner. As viagens de negócios diminuíram, ao contrário da vontade de mergulhar numa piscina e nos sabores da região. Assim, atualmente o Évora Hotel é um espaço focado em famílias e a pensar nelas criou vários pacotes especiais para as férias — já lá vamos.

Nós não fomos em família e caso faça uma visita a dois há propostas interessantes para fazer em casal em Évora. Quanto ao que encontra no hotel, contamos tudo.

Três varandas e um secador que nada seca

Como homenagem ao local onde se insere, a suíte Évora é o local indicado para uma sesta pós-almoço para refrescar do calor alentejano. Faça como nós e deixe o corpo moldar-se à chaise longue da sala (a nossa favorita da suíte), que ainda tem um sofá de dois lugares. Ao acordar da sesta, o melhor sítio para esticar o corpo é na varanda virada para a estrada e para a piscina, equipada com duas espreguiçadeiras. Esta é apenas uma (e a maior) das varandas da suíte e há uma segunda mesmo ao lado.

A terceira, com vista para a piscina, é acessível através do quarto com cama king size, separado da sala por uma porta de correr. É nesta divisão que fica a casa de banho, com lavatório em mármore e alguns pormenores que ficaram no esquecimento durante a remodelação: o secador de parede daqueles antigos e a cortina de correr da banheira (que ganhou pontos por ter sistema jacuzzi). Aliás, o quarto, ao contrário do lobby, não transmite a mesma sensação de frescura e modernidade, destacando-se a caixa de cortinas e as portas do armário que mal correm para o lado — quase desistimos de levar um casaco antes de descer para jantar. Fora isso, o conforto da cama de almofadas altas e fofas é inquestionável.

Seja numa suite ou quarto standard no segundo e primeiro piso, a varanda está garantida em todos, o que torna o acordar no Évora Hotel mais agradável.

Vista da varanda do quarto
Vista da varanda do quarto créditos: MAGG

Um agachamento que nunca era o último

Mal chegámos ao Évora Hotel, pousámos as malas e fomos experimentar a piscina. Não é preciso marcação (apenas é pedido para a piscina interior), e apesar de o número de espreguiçadeiras estar limitado, acabam por se estender toalhas a mais no jardim, ainda que com distância de segurança. É certo que todos os hóspedes do hotel apresentaram teste negativo à COVID-19 no momento do check-in, mas a fiabilidade não é 100% e o facto de o controle na piscina não ser rigoroso faz com que a quantidade de pessoas dentro de água e no bordo da piscina acabe por passar os limites do que seria confortavelmente seguro em tempos de COVID-19.

Ficámos, por isso, pela sombra das árvores a desfrutar das bebidas do hotel, que variam entre imperial (2€) e sangria de espumante com frutos silvestres (13,50€), disponíveis no bar acessível pela porta de abertura automática — um pormenor que mostra que, fora a lotação da piscina, há outros cuidados no que diz respeito à COVID-19.

Para acompanhar há, por exemplo, tábua de três queijos de Évora (10€), e também opções de lanche, como ovo cozido (0,80€) ou overnight de banana e cacau (4,20€) para as crianças e ainda bolas de Berlim. É verdade. Apesar de o funcionário do hotel não dizer a lengalenga "olhá bolinha" em alto e bom som, discretamente pergunta quem deseja uma bola de Berlim à beira piscina.

Pão da Vila. Esta pastelaria na Ericeira recheia bolas de Berlim e croissants na hora
Pão da Vila. Esta pastelaria na Ericeira recheia bolas de Berlim e croissants na hora
Ver artigo

Demos uma segunda oportunidade à piscina no dia seguinte de manhã logo cedo e aí já deu para arrefecer o corpo do calor alentejano que dá sinais logo depois das 9h. Já perto das 10h, em vez de ter os pés de molho, sentimos vontade de os meter dentro de uns ténis para nos juntarmos à aula de localizada do ginásio do hotel, o Every Body Clubs, que estava a acontecer num canto do jardim à sombra das arvores. Tesouras e skater jumpsforam os bons dias para alguns dos desportistas que marcaram previamente a aula e de quem tivemos pena — é que quando a instrutora dizia "só mais um" agachamento, nunca era o último, pelo menos daquela série.

Quer as aulas (disponíveis num mapa semanal), quer o ginásio são de acesso gratuito para os hóspedes e pode ser frequentado por visitantes. Desta vez não nos juntámos, mas da próxima não vamos perder os exercícios de isometria em vez da imobilização na espreguiçadeira.

Bebemos um vinho Invisível e da comida não ficou rasto

Já que o restaurante está renovado, não podíamos perder a oportunidade de o provar. Miguel de Mello Breyner disse-nos que o conceito de buffet se manteve, bem como a comida tradicional, agora degustadas num espaço com mais glamour. Chegámos já com a mesa do buffet posta: saladas, sopa, um prato de carne, um de peixe e um para crianças, pão e sobremesas — tudo alentejano.

Antes de começar, foi-nos logo apresentado um vinho branco do Alentejo feito de uvas da casta tinta Aragonês, o Invisível Branco Ervideira, que disseram que era transparente como água. Não quisemos acreditar, mas quando nos foi servido no copo as dúvidas caíram por terra, ou melhor, caíram logo para dentro da boca, conferindo o que de resto nos anunciaram: é leve e deve beber-se bem, mesmo bem fresco, porque saberá ainda melhor.

"Que se foda" comprar um vinho a 999 mil euros — desde que seja bom (e será que é mesmo?)
"Que se foda" comprar um vinho a 999 mil euros — desde que seja bom (e será que é mesmo?)
Ver artigo

Passando à comida, por sorte de já estarmos familiarizados com a gastronomia alentejana, não nos foi difícil identificar as pataniscas finas e estaladiças (de comer e ir buscar muitas mais), bem como os pézinhos de porco de coentrada na secção dos frios. Quanto ao resto, foi difícil perceber o que seria e quando perguntámos o que parecia um pica-pau, a resposta foi pouco clara, remetendo para febras de porco o que, digamos, não é muito típico. Contudo, as pataniscas encheram-nos a barriga de sabores alentejanos, ficámos apenas a desejar também alguns queijos da região (ainda que houvesse presunto para quem é fã).

Tudo ficaria mais fácil para portugueses e estrangeiros se cada iguaria do início do buffet estivesse identificada, embora o mesmo não aconteça com os pratos quentes diários que estão devidamente sinalizados. Na noite em que jantámos no restaurante do Évora Hotel calhou-nos um bacalhau gratinado com gambas e cachaço de porco ibérico assado. Para sobremesa, a incontornável sericaia e também sopa dourada. O buffet ao almoço e jantar, sem bebidas incluídas, custa 18,50€.

Pacote em família ou a dois com direito a espumante

Uma vez que é indicado para famílias, o Évora Hotel tem um programa especial para adultos e crianças. Chama-se Família no Verão e inclui alojamento em quarto duplo, com pequeno-almoço incluído, e preços especiais para as crianças: a primeira criança (até 15 anos) não paga alojamento e a estadia também é oferecida a uma segunda criança até aos 5 anos (se a segunda tiver entre 6 e 15 anos paga apenas 50% do valor). A isto junta-se o golfe em família, o acesso às piscinas exterior e interior, bem como à sauna, banho turco e jacuzzi. O programa custa desde 55,50€ por pessoa para uma noite.

Em vez de ir com os miúdos atrás pode planear uma escapadinha a dois com a campanha Evasão Romântica. Além de duas noites de alojamento, com pequeno-almoço, inclui uma visita à adega da região, com prova de vinhos, delicia de chocolate acompanhada de espumante e acesso às duas piscinas do hotel. Custa 117€ por pessoa em quarto duplo.

Évora Hotel

Localização: Avenida Túlio Espanca Apart. 93, 7002-502 Évora
Reservas: (+351) 266 748 800/ reservas@evorahotel.pt/site 

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.