25 e 26 de junho. Foram estes os dias eleitos para o segundo e último fim de semana da 9.ª edição do Rock in Rio Lisboa. Este sábado, 25, a MAGG correu o Parque da Bela Vista de ponta a ponta (mais do que uma vez) com um único objetivo: encontrar e participar nas atividades mais giras do festival. E agora contamos-lhe como foi cada experiência.

Tome notas do que quer fazer este domingo — é a última oportunidade. Enquanto espera pelos concertos do Palco Mundo, por onde vão passar HMB, Jason Derulo, Anitta ou Post Malone, aventure-se pelo recinto a tirar o melhor partido de todas as atividades disponibilizadas nas diferentes bancas. Em algumas, até terá direito a brindes, única e exclusivamente, por participar. Confie em nós: trata-se, acima de tudo, de sorte. O jeito para a coisa não é para aqui chamado.

10 coisas que queremos mesmo ver (e fazer) no Rock in Rio — além do slide e da roda gigante
10 coisas que queremos mesmo ver (e fazer) no Rock in Rio — além do slide e da roda gigante
Ver artigo

Antes do arranque da Cidade do Rock no Parque da Bela Vista, dissemos-lhe o que pretendíamos ver e fazer. Entretanto, se já nos acompanha pelo Instagram, certamente saberá que já riscámos alguns dos tópicos da lista. Saiba como foi a adrenalina que o slide nos proporcionou, como ficaram as fotografias que tirámos no cimo da roda gigante e, claro, como é que estava o nosso coração assim que descobrimos que uma das bancas do recinto fazia tatuagens permanentes a custo zero. 

Perdemos a virgindade de tatuagens e tremelicámos assim que pusemos o primeiro pé no ar antes de nos lançarmos a sobrevoar o recinto. Mas aconteceu. Agora, revelamos como foi cada experiência e as melhores dicas e truques para tirar partido delas.

A roda gigante está mais instagramável do que nunca

Cabine Roda Gigante

Também não podíamos deixar de dar umas voltas na roda gigante. Este ano, cada cabine tem uma decoração diferente, sendo que todas prometem ser instagramáveis. Calhámos talvez na mais colorida e felpuda. Com todo o arco-íris ao nosso redor, vimos Lisboa a partir de cima.

Dentro das cabines patrocinadas pelo stand de automóveis Pisca Pisca existe um tablet para que possamos tirar uma fotografia, girar uma roda de prémios digital (para os amantes de brindes) e, tal e qual como DJs, escolher que música de fundo queremos ao longo da experiência. Escolhemos "Modo Turbo" de Luísa Sonza, Pabllo Vittar e Anitta, "Run The World" de Beyoncé e "34+35" de Ariana Grande.

Perdemos o medo de altura e dissemos "sim" ao Slide

Slide

Rock in Rio não seria Rock in Rio se não sobrevoássemos o recinto no Slide, que este ano está mais longo, com cerca de 180 metros de comprimento e 14 de altura. Enquanto esperávamos, bebemos um cocktail 7UP Free, para ganhar coragem para saltar da plataforma que este ano é patrocinada pela marca de bebidas.

Depois de subirmos alguns lances de escadas, colocámos uma touca no cabelo, um capacete e o arnês. Prenderam-nos ao slide e lá fomos nós. Passámos mesmo em frente ao Palco Mundo e percorremos o recinto de uma ponta a outra. A adrenalina foi real e o pânico só surgiu quando estávamos prestes a chegar ao fim, com grande impulso. Existem umas borrachas próprias para a travagem, já perto da plataforma, e o embate não é nada suave. Ainda assim, voltávamos a ir.

Deitámos a mão aos famosos sofás vermelhos

Rock in Rio
Fotografia ilustrativa dos famosos sofás vermelhos insufláveis. créditos: Rock in Rio

Pronto, foi desta. Lançámos para o ar e as nossas preces foram ouvidas. Depois de anos a marcar presença no Rock in Rio Lisboa, conseguimos deitar a mão a um dos famosos sofás vermelhos.

Depois de uma análise profunda da fila, que, dependendo da hora do dia, pode mesmo percorrer o recinto de ponta a ponta, lado a lado com o Slide, lá fomos nós. Vimo-lo a descer por um escorrega e ainda temos gravado na nossa mente, como se tivesse acontecido há breves instantes, o momento em que o agarrámos.

Alerta, spoiler: não é tão confortável como parece, mas é o aliado perfeito para relaxar ao som dos nomes presentes no cartaz. Sejamos sinceros: depois de percorrer o Parque da Bela Vista, todos os assentos são bem vindos. A fila aumenta a cada hora que passa, por isso, quanto mais cedo se dirigir à banda da Vodafone, junto ao relvado em frente ao Palco Mundo, melhor.

Fizemos uma tatuagem (permanente e gratuita)

tatuagem

Eis que o suspense chega ao fim: aconteceu. Perdemos a virgindade de tatuagens em pleno Parque da Bela Vista e a culpa foi da banca da MultiOpticas.

E, não, não tatuámos lentes ou armações de óculos. Neste stand, com Hugo Martins (mais conhecido por Makarov) de agulha na mão, pode escolher qualquer imagem. E, pumba, será sua em poucos minutos, desde que aprovada pelo tatuador — conhecido não só pelo seu portfólio exímio, mas por ter desenhado a Popota e ser o autor de tatuagens do chef Ljubomir Stanisic.

As tatuagens arrancam às 15h, na banca da MultiOpticas, na Rock Your Street. No entanto, a fila começa a formar-se horas antes. Dica útil: o ideal, segundo a organização, seria garantir o seu lugar na fila a partir das 13h. Os lugares são limitados e a procura é elevada.

Demos tudo no Tampax Dancing Stage

Tampax Dancing Stage

Festivaleiro que é que festivaleiro tira o pé do chão — e a banca da Tampax dá um empurrão nesse sentido.

Numa referência aos dates de secundário de qualquer filme cliché norte-americano, na Bela Vista, vai poder desafiar a sua cara metade (ou até amigos ou desconhecidos) a dançar na Dancing Stage EuroMix 2, uma máquina em que cada passo certeiro arrecada é contabilizado. O bailarino com melhor classificação será eleito o grande vencedor — mas, aqui entre nós, no nosso caso, ficou bastante renhido.

Pode mexer o corpo, treinar passos de dança e, com sorte, ainda se afasta desta banca da Tampax na Rock Your Street com a cara cheia de brilhantes e tampões grátis na mão.

Virámos estrelas rock no Íbis

Íbis

Bem sabemos que o nome nos remete logo para camas de hotel fofinhas e dias de descanso, mas na banca da cadeia de hotéis Íbis, na Rock Your Street, deixámos que o rock invadisse o nosso corpo.

Este stand convida todos os festivaleiros a libertarem a estrela rock que há em si — e, para isso, disponibilizam um mini palco com uma câmara giratória, que produz na hora um vídeo 360º do momento, que é enviado logo para o telemóvel dos festivaleiros.

Há plumas, microfones e até guitarras para tornar todo o cenário ainda mais real. Recorra a quantos adereços desejar e, assim que a câmara se aproximar, assuma o artista que há em si. Adorámos a experiência e percebemos que passámos ao lado de uma longa e promissora carreira no mundo da música. Mas adiante.

Descobrimos a solução para arrasar no penteado

SteamPod

Alto e pára o baile. Pouse a escova e esqueça o óleo para as pontas. Este ano, não terá sequer de se preocupar com o cabelo para desfilar no último dia de festival (e arrasar ao som de Anitta ou Jason Derulo).

Faça como nós: dê um saltinho à banca da SteamPod da L'Oréal Paris e deixe essa tarefa entregue a quem percebe realmente do assunto. Há vários profissionais prontos para fazer o seu penteado de sonho. É só descrever o que tem em mente e, em poucos minutos, tornar-se-á realidade (totalmente grátis).

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.