As suculentas estão na moda de decoração de interiores, mas há muito tempo que as plantas fazem parte dos requisitos quando se quer uma casa com um ambiente mais natural e com ar purificado (isto quando as plantas são mesmo naturais). É que muitas das que vemos nos parapeitos das janelas da cozinha são artificiais, porque há quem não se arrisque a comprar as verdadeiras pela atenção que exigem. Com mais ou menos cuidados, uma coisa é certa: não é qualquer planta que pode estar dentro de casa.

Como é que sabemos isto? Porque Nuno Miguel, especialista em projetos de jardinagem e paisagismo registado no Habitissimo (plataforma especializada em remodelações e obras), revelou à MAGG quais as plantas aconselhadas e desaconselhadas ou “proibidas” para a decoração de interiores — quer seja numa casa, num escritório, ou qualquer outro espaço que não seja o habitat natural das mesmas.

EKOA. As novas caixas (feitas de plantas) de snacks vegan que lhe chegam a casa
EKOA. As novas caixas (feitas de plantas) de snacks vegan que lhe chegam a casa
Ver artigo

Antes de revelar em quais é que pode e deve investir, é preciso deixar um ponto assente: razões para ter plantas em casa não faltam. Uma delas é o facto de ocuparem espaços ‘mortos’, como cantos vazios ou zonas mais inacessíveis que careciam de alguma vida, decorar paredes, já que estas não servem só para quadros e uma das grandes tendências atuais é pendurar vasos como se de um candeeiro de parede se tratasse, ou suavizar arestas, como é o caso das extremidades de algumas peças de mobiliário.

Às razões acrescem o facto de as plantas conferirem cor aos espaços interiores, e, como não podia deixar de ser, o grande motivo de querermos ter plantas ao nosso redor é melhorar a qualidade do ar interior, uma vez que algumas espécies filtram o ar poluído.

Veja qual destas 28 plantas deve ter em casa de acordo com a sua personalidade e estilo de vida
Veja qual destas 28 plantas deve ter em casa de acordo com a sua personalidade e estilo de vida
Ver artigo

É aqui que entram as plantas ideais — por questões ornamentais, ambientais e de fácil manutenção —, e as que são de certo modo proibidas ou desaconselhadas, uma vez que "requerem alguns cuidados por questão de toxicidade", conforme revela Nuno Miguel.

Espécie a espécie, faça as suas escolhas para um design de interiores moderno.

Plantas de interior aconselhadas

Calathea spp (Maranta)
Esta espécie além de estética, pelas suas folhas com padrões, é cheia de vida, uma vez que as folhas movem-se durante o dia à procura de luz — fenómeno que já conhecemos dos célebres girassóis.

Howea forsteriana (Kentia)
A kentia pode atingir grandes dimensões, e embora tenha um crescimento lento, o facto de crescer bastante é excelente para preencher um canto vazio, já que depressa fica preenchido de tons verdes. Esta planta é resistente e de fácil manutenção, ótima para principiantes (quantas mãos no ar desse lado?).

Chlorophytum comosum (Clorofito)
O clorofito reproduz-se facilmente e é daquelas plantas que cumpre com uma das razões para querermos estes elementos da natureza em casa: ajuda a purificar o ar, absorve elementos poluidores, e desintoxica a casa naturalmente.

Jardim da Jujé. Nesta pastelaria há plantas, bowls gigantes e doces sem pecado
Jardim da Jujé. Nesta pastelaria há plantas, bowls gigantes e doces sem pecado
Ver artigo

Nephrolepsis exaltata (Feto)
Esta espécie é uma das que muitas vezes é pendurada em vasos suspensos na parede. O feto deixa cair as suas folhas longas, o que faz com que quase pareça um repuxo vegetal. A Nephrolepsis exaltata tem como função ser humidificadora natural e, tal como o clorofito, absorve as substâncias poluentes libertando vapores.

Suculentas
Aqui estão as plantas mais populares nos últimos tempos. As suculentas necessitam de poucos cuidados (qualquer amador nesta área fica rendido à ideia) e pouca água. Além disso, esta espécie acaba por ser a mais escolhida para ter em casa, uma vez que dá-se bem em qualquer lugar.

Até ficam bem no interior da casa, mas podem ser perigosas

Dieffembachia
Tal como o clorofito e o feto, também a dieffembachia é uma excelente purificadora de ar. Até aqui tudo bem, mas eis o problema: a seiva é venenosa e deve ser mantida longe de crianças e animais. Esta planta requer um transplante, na primavera, pelo que devido aos perigos adjacentes, o processo deve ser feito com luvas. Quando chega a altura do verão, é preciso também ter cuidado, uma vez que a dieffembachia necessita de ser regada com bastante frequência.

Ficus lyrata
Outra das plantas com seiva venenosa é a ficus lyrata, que deve igualmente ficar longe do alcance das crianças e animais. Esta planta é também conhecida como “Figueira-Folha-de-Violino” e apesar de adaptar-se a ambientes e condições menos perfeitas, quando estes se alteram a planta ressente-se, o que significa que quando leva um ficus lyrata para casa deve informar-se logo sobre qual o local mais indicado para o colocar.

Monstera deliciosa (Costela de Adão)
Quer o nome científico ou popular são peculiares, bem como a planta de grandes folhas de cor verde brilhante. A monstera deliciosa pode atingir uma grande dimensão — proporção semelhante ao perigo que representa. Isto porque a sua seiva é considerada venenosa e as folhas poderão ser tóxicas se mastigadas.

Euphorbia pulcherrima (Estrela de Natal)
Apesar de ter como nome estrela de Natal, não é especifica para essa altura, embora as cores natalícias das folhas vermelhas combinem com os centros de mesa da ceia de Natal. Mais uma vez a seiva é a razão de estar no grupo de plantas desaconselhadas para ter dentro de casa, uma vez que é extremamente tóxica para os seres humanos e animais.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.