Deu-lhe o nome Jardim e não foi por acaso. Esta jurista com jeito para os doces e também para a decoração, conseguiu transformar um café de bairro daqueles com balcão metalizado, num espaço em que só por entrar, já sentimos que a selva aqui não é a urbana.

Plantas por todo o lado, verde nas paredes e madeiras compõem estes poucos metros quadrados que Joana Ramos, de 32 anos, construiu sozinha. "Foi como pintar uma tela grande", diz à MAGG, confidenciando que a pintura é uma das suas paixões. Quase tão grande como a que tem pelos doces. "Sou mesmo muito gulosa".

Esta jurista, ainda que não tenha posto de parte o direito, há dois anos que se dedica por inteiro à pastelaria saudável e, sempre que possível, vegan. Criou uma página — @osfitcakesdajuje — com a qual geria as encomendas de bolos e muffins todos feitos sem açúcares ou farinhas refinadas. E ainda que não tenha deixado as encomendas de lado, abriu-se ao público por inteiro no Jardim da Jujé, uma pastelaria saudável na Estefânia, em Lisboa, na qual serve bolos, mas também refeições ligeiras e taças cheias de vitaminas.

Manna. Há um novo espaço no Porto que junta ioga, meditação e comida vegetariana
Manna. Há um novo espaço no Porto que junta ioga, meditação e comida vegetariana
Ver artigo

Experimente uma bowl. Bem sabemos que já muitas em Lisboa, mas aqui é tão bem servido que vale por uma refeição. Pode escolher entre o de cacau com granola (7€), o de açai (8€), o de manga e ananás (7€) e o de pitaya com granola e romã (8€). Está a imaginar as cores? São as mesmas que pintam os smoothies, que podem ser mais verdes caso opte pelo Detox, com maçã, espinafre, spirulina, pepino e banana (4€) ou mais amarelo caso prefira o Figo Seduz, com banana e manteiga de amendoim.

Com apenas seis lugares ao balcão e dois na esplanada, a ideia é dar a oportunidade às pessoas de virem fazer uma refeição rápida mas saudável. Nesse caso, e mais a pensar nos almoços, há quiche de vegetais (3,50€) e tostas (4€), que podem ser de húmus simples ou de beterraba, creme de abóbora ou banana e amendoim.

Há ainda papas e panquecas e é por isso que Joana pensa em breve alargar o horário — o restaurante só abre ao meio dia — para passar a servir também pequenos-almoços.

Os bolos não podiam faltar e enchem a montra logo á entrada. Existem trufas a 50 cêntimos, mesmo a pedir a companhia de um café. Nesse caso, o café e a trufa fica a 1€. Mas há também bolo à fatia, entre os 2€ e os 3€, com sabores que vão desde o coco, à banana e até à beterraba. É o caso do Valentino, o bolo que Joana criou para o Dia dos Namorados, feito com cacau, morango e beterraba. "Para ter a cor do amor", explica.

À semelhança do que acontecia quando trabalhava só por encomendas, também aqui os bolos respeitam as épocas do ano e é por isso que no verão pode contar com tartes de meloa, por exemplo, e no Natal com versões mais saudáveis de Rafaello ou Ferrero Rocher. Ao longo do ano, é o que a imaginação e os ingredientes da época ditarem.

Morada: Rua Alexandre Braga, 26 C, Lisboa
Horário: 12h - 20h. Fecha sábado e domingo

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.