As consequências das altas temperaturas dos últimos dias já se fazem sentir, com mais de 1.500 bombeiros no terreno a combater incêndios de norte e sul do País, mas a situação meteorológica está prestes a agravar-se: esta terça-feira, 12, marca o arranque de três dias de calor extremo em Portugal Continental, sendo que se espera que quarta-feira, 13, seja um dos dias mais quentes dos últimos 22 anos.

Calor extremo em Portugal: Santarém chega aos 45 graus e esperam-se noites tropicais em todo o País
Calor extremo em Portugal: Santarém chega aos 45 graus e esperam-se noites tropicais em todo o País
Ver artigo

A Proteção Civil já lançou um alerta via SMS para todo o País, de forma a apelar para que não sejam feitos fogos nos espaços rurais/florestais. No entanto, não só o risco de incêndios, que já deixou Portugal em situação de contingência até esta sexta-feira, 15, se revela preocupante.

PROCIV

De acordo com o jornal "Público", ondas de calor deste teor podem mesmo revelar-se fatais, mas raramente recebem a atenção devida. Entre 1998 e 2017, mais de 166 mil pessoas morreram por causa das ondas de calor. Sendo que só em 2003, há registo de 70 mil mortes na Europa, lê-se.

Neste sentido, há que saber o que fazer para garantir que o corpo permanece saudável e com os recursos necessários para resistir às altas temperaturas (que em certas regiões do País vão mesmo ultrapassar os 40ºC). Até porque, em certos casos, nem no interior dos transportes públicos se conseguirá ver livre deste calor.

Segundo a empresa Comboios de Portugal (CP), as "condições de conforto a bordo dos comboios" poderão não ser as mais adequadas durante as principais horas de calor. Por isso, a empresa lançou um comunicado no seu site oficial no qual aconselhava a que as viagens de comboio fossem realizadas ao início da manhã ou ao final do dia, garantindo ainda o reembolso a quem desejar alterar a hora dos bilhetes comprados previamente.

"No caso de já ser portador de bilhete para os serviços Alfa Pendular, Intercidades, Internacional, InterRegional e Regional e se pretender alterar a viagem", a CP informa que o valor do bilhete adquirido pode ser reembolsado. De acordo com o jornal "Observador", este reembolso pode ser feito em myCP, até aos 30 minutos que antecedem a partida do comboio da estação de origem, na área "Os seus bilhetes", no canto superior direito do site.

CP
créditos: CP / site oficial

Isto para bilhetes adquiridos na bilheteira online e App CP. Sendo que para estes e para restantes, a opção também é válida nas bilheteiras físicas.

Saiba como se proteger do calor:

  • Procurar ambientes frescos e arejados ou climatizados;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Deve privilegiar (e aumentar) a ingestão de água ou de sumos de fruta natural — sem açúcar, de preferência;
  • Evitar a exposição direta ao sol, principalmente entre as 11 e as 17 horas.
  • Utilizar protetor solar com fator igual ou superior a 30. O ideal? Renovar a sua aplicação de duas em duas horas e após os banhos na praia ou piscina;
  • Utilizar roupa solta, opaca e que cubra a maior parte do corpo. Se possível, utilizar chapéus de abas largas e óculos de sol com proteção ultravioleta;
  • Evitar atividades que exijam grandes esforços físicos, nomeadamente desportivas e de lazer no exterior. Idealmente, deve moderar a atividade física, evitar a exposição direta ou indireta ao sol e garantir ingestão frequente de líquidos;
  • Escolher as horas de menor calor para viajar de carro e não permanecer dentro de viaturas estacionadas e expostas ao sol.

Dados: Direção-Geral da Saúde

Para além disto, importa ainda dar atenção especial a grupos mais vulneráveis ao calor, que, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS) são constituídos por crianças, idosos, doentes crónicos, grávidas, pessoas com mobilidade reduzida, trabalhadores com atividade no exterior, praticantes de atividade física e, ainda, pessoas isoladas.

As crianças com menos de 6 meses não devem estar sujeitas a exposição solar, direta ou indireta. Sendo que é importar garantir que consomem frequentemente água (ou sumos de fruta natural) e que permanecem em ambientes frescos e arejados.

Em relação aos restantes grupos de riscos, a DGS explica que é importante contactar e acompanhar os idosos e outras pessoas que vivam isoladas, na tentativa de assegurar a sua correta hidratação.

Os doentes crónicos ou sujeitos a medicação e/ou dietas específicas devem seguir as recomendações do médico assistente ou do centro de contacto SNS 24 (808 24 24 24), avança o site oficial da DGS.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.