Aplicar protetor solar em quantidade suficiente, mas não confiar exclusivamente nele para se proteger do sol. Esta é uma das recomendações da dermatologista Helena Toda Brito. Embora seja bom apanhar sol e sentir que o nosso corpo começa a ganhar aquela tonalidade mais escura, é no verão que a pele requer também cuidados redobrados por estar exposta a determinados agressores (como o sol, cloro das piscinas, transpiração, ar condicionado, entre outros) que a tornam mais seca e menos saudável.

Helena Toda Brito, dermatologista no Hospital Lusíadas Lisboa e na Clínica Lusíadas Parque das Nações, refere que os cuidados essenciais a ter com a pele no verão são a limpeza suave, "utilizando água morna e produtos de limpeza que limpem a pele sem a agredir", o reforço da hidratação com cremes adequados e a proteção solar. "No verão, é importante reforçar a hidratação da pele, para compensar  as agressões a que é sujeita. Uma pele bem hidratada tem uma barreira cutânea fortalecida e é mais resistente aos agressores externos (como o sol, cloro ou transpiração)", afirma em entrevista à MAGG.

Da praia à cidade, 10 protetores solares para proteger o seu rosto — mesmo com maquilhagem
Da praia à cidade, 10 protetores solares para proteger o seu rosto — mesmo com maquilhagem
Ver artigo

Apesar de serem cuidados que devemos sempre ter em consideração para todas as partes do corpo, Helena Toda Brito afirma que o rosto "requer habitualmente mais cuidados, por estar exposto ao sol durante todo o ano e por ter maior tendência à formação de rugas e certos tipos de manchas". Cuidados que, segundo a especialista, devem receber ainda mais atenção por parte das pessoas com doenças de pele que se agravem com a exposição ao sol (como é o caso da rosácea ou melasma).

Quando expostos ao sol, sabemos que os protetores se devem tornar os nossos melhores amigos, pois vão diminuir o risco de queimaduras solares, cancro de pele e envelhecimento acelerado da mesma, permitindo ao mesmo tendo usufruir dos benefícios do sol de uma forma mais segura. Mas será que sabemos como deve ser feita a sua aplicação e qual devemos escolher?

Os protetores solares devem ter fator de proteção solar igual ou superior a 30

"O protetor solar deve ser aplicado em quantidade suficiente, em todas as áreas expostas, 20 minutos antes da exposição solar, e repetida frequentemente ao longo do dia (de duas em duas horas e após nadar ou transpirar). Deve-se optar também por protetores solares de índice elevado (com fator de proteção solar igual ou superior a 30), de amplo espectro (que protejam das radiações UVA e UVB e, idealmente, também da luz visível e radiação infravermelha), resistentes à água e adequados ao tipo de pele", explica Helena Toda Brito, realçando que é importante as pessoas saberem distinguir um protetor de um bronzeador.

Das boias em forma de fruta às cadeiras coloridas. 22 artigos de verão a partir de 3€
Das boias em forma de fruta às cadeiras coloridas. 22 artigos de verão a partir de 3€
Ver artigo

Apesar de os bronzeadores não serem prejudiciais para a pele, tal como menciona a dermatologista, "assiste-se muitas vezes à confusão entre bronzeador e protetor solar". Deste modo é, segunda a especialista, "importante lembrar que os bronzeadores são produtos concebidos para dar uma tonalidade mais escura à pele, não contendo habitualmente filtros solares na sua composição", não devendo nunca substituir o protetor.

Após um dia ao sol, é também importante a hidratação da pele, sendo que aqui os cremes after-sun são indicados por Helena Toda Brito como os mais apropriados para hidratar, acalmar e reparar a pele após a exposição solar. "Os after-sun apresentam habitualmente formulações com elevado conteúdo em água, que refrescam e hidratam, e ingredientes com ação anti-inflamatória (como aloe vera, camomila ou bisabolol), que ajudam a acalmar a pele e reduzir a vermelhidão", acrescenta.

Três dicas indispensáveis da dermatologista Helena Toda Brito:

—  Aplicar protetor solar em quantidade suficiente e reaplicar frequentemente.

— Não confiar exclusivamente no protetor solar, utilizando-o como complemento (e não substituto) das outras medidas de proteção: sombra, roupa protetora, óculos de sol, chapéu de abas largas e evitar da exposição solar entre as 11h e as 16h.

— Manter os cuidados com a proteção solar todos os dias dentro e fora da praia. "Mesmo nos dias nublados, as nuvens deixam passar cerca de 80% dos raios solares", explica a especialista.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.