Não se sabe bem o que justifica o aparecimento de nódulos na tiroide, mas o aumento do volume da glândula das mulheres durante a gravidez, deficiência de iodo, aumento provocado por doenças autoimunes, radioterapia da cabeça ou do pescoço ou base genética podem ser alguns fatores que potenciam o aparecimento.

Poderá um problema na tiroide justificar um grande aumento de peso?
Poderá um problema na tiroide justificar um grande aumento de peso?
Ver artigo

Apesar de existirem dois tipos de nódulos — os benignos, que podem ser quistos, por exemplo, ou os malignos, como o cancro —, a verdade é que 90% dos casos são benignos, sendo a vigilância permanente o principal cuidado a ter.

"Os nódulos da tiroide são uma espécie de tumefação [inchaço] que aparece na região interior do pescoço e que resulta numa proliferação anómala das células da tiroide que dá origem a um nódulo", explica à MAGG Maria João Oliveira, endocrinologista e representante do Conselho Científico da Associação das Doenças da Tiroide.

De acordo com a especialista, "os nódulos são bastante frequentes", mas acabam por não ser detetados devido à tumefação, mas sim quando a pessoa faz algum tipo de exame de imagem, e nesse aparece um ou mais nódulos na tiroide.

Este tipo de nódulos são também, segundo Maria João Oliveira, muito mais frequentes nas mulheres do que nos homens: o que se deve, entre outros fatores, às questões hormonais das mulheres e ao facto de "as doenças autoimunes na tiroide serem muito mais frequentes no sexo feminino do que no masculino".

90% dos nódulos na tiroide são benignos

Apesar de a maioria dos nódulos na tiroide (90%) serem benignos e não representarem motivo de preocupação ou necessidade de tratamento, Maria João Oliveira explica que o "maior risco é poder ser maligno e não detetado". Ou, por outro lado, "ser um nódulo muito grande (que já vai para o tórax) e começar a empurrar outras estruturas cervicais, causando danos por causa disso. Por exemplo, pode começar a empurrar a traqueia e a pessoa ter dificuldades respiratórias porque tem um nódulo muito volumoso", explica.

As mulheres são as mais afetadas pelas disfunções da tiróide, a super glândula que mexe com (quase) tudo no nosso corpo
As mulheres são as mais afetadas pelas disfunções da tiróide, a super glândula que mexe com (quase) tudo no nosso corpo
Ver artigo

Durante a gravidez, estes nódulos podem também evoluir, uma vez que a tiroide já aumenta de tamanho durante esta fase da vida das mulheres, explica a endocrinologista. Ainda assim, Maria João Oliveira diz que a maioria dos nódulos da tiroide aparecem em idades mais avançadas. "Mulheres após a menopausa têm muita tendência para ter nódulos na tiroide", frisa.

No caso dos malignos, a endocrinologista explica que este é um tipo de cancro "com bom prognóstico", sendo que "mais de 80% dos cancros da tiroide são curados". O principal problema está relacionado com a possível metastização para os gânglios do pescoço ou para outros órgãos. Mas, de acordo com Maria João Oliveira, esta é uma situação que não acontece com muita frequência.

Que cuidados deve ter uma pessoa com nódulos na tiroide?

No caso de existir alguma suspeita de que possam existir nódulos na tiroide, as pessoas devem, antes de qualquer outra coisa, consultar um médico especialista. "Devem também fazer uma ecografia e as características dos nódulos devem ser analisadas para se perceber de que tipo se trata. Se os nódulos tiverem alguma característica suspeita, deve ser feita uma citologia para analisar as células e ver se são benignas ou malignas."

De acordo com a endocrinologista, se for um nódulo benigno, geralmente, é apenas vigiado — "a menos que seja muito volumoso". Se se tratar de um nódulo volumoso, o ideal é que seja submetido a cirurgia. "Na cirurgia, é retirado o nódulo e a parte da tiroide onde este está. Além disso, hoje em dia temos já alguns tratamentos que estão a começar a surgir como a termocoagulação (um tratamento de radiofrequência que permite reduzir o volume do nódulo sem que seja necessário cirurgia)."

Em casos benignos de pouco volume, se a tiroide estiver a funcionar bem, a especialista explica que não é preciso fazer medicação, mas apenas assegurar a vigilância com idas ao médico e realização de ecografias.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.