Há o clássico bronze à camionista ou mesmo à corredor (com a marca dos calções de corrida). Mas depois à exceções à regra de marcas do sol tão originais quanto perigosas.

Algumas delas foram partilhadas nas redes sociais e recolhidas pelo site "Bored Panda", e ao ver uma a uma o efeito é duplo: riso e uma dor empática por já nos ter acontecido o mesmo ou  só de imaginar as dores quando a vermelhidão é gritante. Nada que um protetor solar não resolva, e se for de tamanho familiar não há como alegar que acabou demasiado depressa.

50 receitas que correram tão mal que só dão para rir (e para nos sentirmos muito melhores chefs)
50 receitas que correram tão mal que só dão para rir (e para nos sentirmos muito melhores chefs)
Ver artigo

O problema às vezes não está tanto em poupar o protetor ou acabar inesperadamente, está sim na forma como é aplicado. Num dos dolorosos casos que mostramos de seguida, o problema foi mesmo que quem o espalhou fê-lo apenas em redor dos sinais ou nem sequer se deu a esse trabalho e deixou ficar o produto nos locais do corpo para os quais o pulverizador disparou.

Algo que as marcas de bronzeado prolongam são os fatos de banho ou biquínis com formas estranhas ou as tatuagens temporárias.

Veja 50 situações em que o tema das Doce de 1985 se aplica na perfeição: "Quente, quente, quente, quente; Quente até queimar!".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.