Se já fez os 3,900 quilómetros da famosa rota 66, que liga Chicago a Santa Mónica, nos Estados Unidos, então saiba que seria mais rápido a chegar ao núcleo da Terra se, claro, fosse possível percorrer este caminho. É que há condicionantes difíceis: a temperatura do centro do Planeta é equivalente à do Sol.

Já aprendeu duas curiosidades sobre o Planeta no 50.º Dia da Terra, que se celebra esta quarta-feira, 22 de abril. Mas pode ficar a saber muito mais. É que fomos à procura de mais factos fascinantes sobre o astro em que vivemos, desde a sua constituição interna, aos mares, desertos ou relação com os outros corpos celestes.

Conheça-os.

Só quem se preocupa com o planeta vai saber que fim dar a cada um destes resíduos. Vamos ao teste?
Só quem se preocupa com o planeta vai saber que fim dar a cada um destes resíduos. Vamos ao teste?
Ver artigo

1. A diferença de tamanho entre a Terra e o Sol é assustadora

Veja o quão pequenos somos: seria possível colocar 960 mil planetas do tamanho da Terra dentro do Sol.

2. O núcleo da Terra é tão quente quanto a superfície do Sol

A temperatura do centro da Terra — que tem uma grossura de aproximadamente 1.207 quilómetros, está próximo ao da superfície do Sol, com temperaturas próximas dos 6 mil graus celsius.

3. A Terra funciona como um campo magnético

Devido ao seu núcleo formado por ferro e níquel, e combinado com o movimento de rotação, a terra funciona como um potente campo magnético. É graças a ele que consegue afastar os ventos solares e partículas carregadas da coroa solar.

4. Não se sabe quem é que deu o nome à Terra

Mas sabe-se que é o único planeta do Sistema Solar que não tem o nome de um deus ou deusa mitológica grega ou romana, ao contrário de Mercúrio, Vénus, Marte ou Saturno, por exemplo. Em latim, Terra significa  “solo, região, país”.

5. O planeta Terra é 10 mil vezes mais velho do que os humanos

"O planeta Terra tem uma idade estimada em 4,5 mil milhões de anos", disse Jeremiah P. Ostricker, investigador sénior da Princeton University à revista "Popular Mechanics". "O Homo Sapiens existe há, no máximo, 450.000 anos, ou seja, há 1/10.000 da idade do planeta."

espaço

6. A Terra está coberta de pó espacial

A Terra está constantemente a ser polvilhada com pó espacial. Estima-se que, todos os dias, cerca de 100 toneladas de matéria interplanetária chegue à superfície terrestre, sobretudo na forma de poeira. As partículas mais pequenas são libertadas pelos cometas, quando os seus gelos se vaporizam perto do sol.

7. A route 66 é mais longa do que a distância até ao núcleo da Terra

A fronteira entre o manto e o núcleo da Terra está aproximadamente a 3000 quilómetros abaixo dos nossos pés, valor que é ligeiramente inferior ao da famosa rota 66 dos Estados Unidos, que liga Chicago a Santa Mónica, em 3900 quilómetros.

8. A água já esteve presa no interior do Planeta

Antes, a água da Terra que hoje está à superfície estava presa dentro do planeta, tendo sido a atividade vulcânica a trazê-la para cima.

9. Só explorámos 5% dos oceanos

Os oceanos constituem 71% da superfície da Terra e o humano só conhece 5% deste espaço. Ou seja: há 95% de superfície de água desconhecida. Uma das causas tem que ver com a escuridão de muitas destas áreas, provocada pela profundidade das águas.

10. Há mais vida para abaixo do fundo do mar

Os sedimentos subjacentes aos oceanos da Terra abrigam microorganismos, que existem a profundidades de até 2,5 quilómetros abaixo do fundo do mar, sendo que os cientistas estão a descobrir cada vez mais novas formas de vida microbiana nesta zona do planeta. A maior parte desta biosfera cresce muito lentamente em relação à que cresce na superfície.

terra

11. A floresta diminuiu drasticamente

Apesar de cobrirem 30% do solo do Planeta, hoje as florestas só ocupam um terço da área que ocupavam antes do início da agricultura.

12. Há milhares de milhões de micróbios numa colher de chá de terra

"Estima-se que o número de micróbios numa colher de chá que contenha terra seja aproximadamente o equivalente ao número de seres humanos que atualmente vivem em África (que é aproximadamente de mil milhões)", disse a bióloga Dianne Newman, da California Institute of Technology, à "Popular Mechanics".

13. Existem mais vírus do que estrelas no universo

Nem de propósito. A Terra está cheinha de vírus, sendo que se estima que existam cerca de 10 milhões de vírus individuais no planeta.

14. Os recifes de corais são a estrutura de vida maior da Terra

Os recifes de coral suportam o maior número de espécies por unidade de área de qualquer ecossistema do planeta, rivalizando com as florestas tropicais. São as maiores estruturas vivas da Terra, sendo que, de acordo com a americana National Oceanic and Atmospheric Administration, alguns são até visíveis até do espaço.

15. A rotação da Terra está a diminuir gradualmente

Ou seja, os dias estão a ficar mais longos. Mas calma, o processo é muito demorado e ainda falta muito para os dias passarem a ter 25 horas. É que esta desaceleração é muito lenta, equivalendo a cerca de 17 milissegundos por cem anos.

16. Mas não se engane: ela gira mesmo muito rápido

Sentimos que estamos parados, mas a realidade é que nos estamos a mover a uma velocidade incrível: atingindo cerca de 1600 quilómetros por hora.

“O Nosso Planeta”. Cena chocante do novo documentário da Netflix gera controvérsia
“O Nosso Planeta”. Cena chocante do novo documentário da Netflix gera controvérsia
Ver artigo

17. Mas há zonas mais rápidas e outras mais lentas

O Equador é a zona mais rápida a girar em torno do eixo da Terra, a cerca de 1600 quilómetros por hora. Já no Trópico de Capricórnio, por exemplo, a velocidade diminui para 1530 quilómetros por hora.

18. O oxigénio não é o principal gás da atmosfera

A atmosfera da Terra é composta por 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e vestígios de outros gases, incluindo argónio e dióxido de carbono. O oxigénio surge sobretudo pelo consumo que a vida vegetal faz no processo de fotossíntese do dióxido de carbono.

19. A Antártida é considerado um deserto

Apesar de ser o local mais frio e ventoso do Planeta, mas é considerado um deserto porque quase não chove, com uma precipitação anual que pode ter um volume inferior a 51 milimetros no interior.

20. Por falar em desertos: o deserto de Atacama é o local mais seco do mundo

O ponto mais seco da Terra é o deserto de Atacama, no Chile e no Peru. No centro deste deserto, há lugares sem sequer haver registos de chuva.

21. A Terra pode ter tido duas luas

Cientistas crêem que uma segunda lua pequenina (com cerca de 1.200 quilómetros de largura) pode ter orbitado a Terra antes de bater na outra Lua. Essa colisão pode explicar as diferenças entre os dois lados da Lua, disseram investigadores, em 2011, à revista Nature.

 22. O ponto mais profundo da Terra é a Fossa das Marianas

O ponto mais profundo da Terra fica no fundo do oceano, a 10.916 metros abaixo do nível do mar, na Fossa das Marianas, no Oceano Pacífico. O ponto mais profundo não coberto pelo oceano fica a 2.555 metros, na Fossa Subglacial de Bentley, na Antártica, enterrada sob o gelo.

mar morto

23. Na superfície da Terra, o ponto mais profundo é o Mar Morto

O ponto mais profundo em terra é relativamente acessível: é o Mar Morto — lago de água salgada que banha Israel, a Jordânia e Cisjordânia — e que fica a 424 metros abaixo do nível do mar. 20. A

24. Terra já foi formada por um só continente

Pensa-se que já várias vezes a distribuição de terra no planeta tenha colidido e se separado várias vezes, formando diferentes supercontinentes. O mais recente foi a Pangeia, que há cerca de 200 milhões de anos se terá começado a separar, criado a configuração em que vivemos.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.