Já passou mais de um mês de quarentena e ainda há quem esteja a tentar encontrar o seu ritmo de teletrabalho — tarefa ainda mais desafiante para quem tem filhos em casa. Contudo, em alguns casos, esse ritmo pode chegar entretanto e até tornar-se um hábito, uma vez que a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, considera que este regime "veio para ficar" no Estado.

De acordo com a ministra, a implementação do teletrabalho estava já prevista no programa do Governo e no Orçamento do Estado, mas a pandemia veio precipitar o processo e colocar 68 mil funcionários públicos, essencialmente técnicos superiores e assistentes técnicos, em teletrabalho.

"Corresponde à quase totalidade dos trabalhadores suscetíveis de exercer funções em teletrabalho no setor público administrativo da Administração Central", afirmou a ministra numa audição na comissão parlamentar de Administração Pública.

Quem está em teletrabalho com os miúdos em casa merece uma medalha de Marcelo quando isto tudo acabar
Quem está em teletrabalho com os miúdos em casa merece uma medalha de Marcelo quando isto tudo acabar
Ver artigo

Até ao momento, o regime de teletrabalho tinha "algumas resistências de dirigentes", diz a ministra Alexandra Leitão, mas parece que o panorama mudou, com um empurrão da pandemia, que veio mostrar que o teletrabalho é "uma forma de excelência de conciliar a vida profissional e a familiar", diz Alexandra Leitão.

Da mesma opinião é o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, que esta terça-feira, 5 de maio, levantou a possibilidade de implementar o teletrabalho pós-pandemia para trabalhadores da autarquia que o considerem uma vantagem.

O próprio presidente defende que "em muitas circunstâncias, as videoconferências têm-se mostrado tão ou mais produtivas que reuniões presenciais”, disse numa videoconferência promovida pela Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), sobre o impacto da COVID-19 na vida das cidades.

O teletrabalho dá-lhe cabo das costas e pescoço? Um fisioterapeuta explica o que é que tem de fazer
O teletrabalho dá-lhe cabo das costas e pescoço? Um fisioterapeuta explica o que é que tem de fazer
Ver artigo

“Acho que já são claros para todos os benefícios que este método pode trazer. Acho que isto é daquelas coisas boas que podem vir para ficar”, continuou, acrescentando ainda que apesar das aparentes vantagens, é necessário “passar por um período de experiência de teletrabalho com as crianças na escola”, uma vez que a experiência actual não é “tão perfeita quanto isso” e não funciona para todos os trabalhadores.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.