Deborah James foi diagnosticada com cancro no intestino em 2016 e, desde então, fez do Instagram uma espécie de diário digital, em que partilhava cada passo da luta contra a doença: os tratamentos, as expectativas, as dores e até o que estava ou não a resultar. Os cerca de 527  mil seguidores acompanharam de perto a jornada desta jornalista da BBC e locutora do podcast "You, Me and The Big C", até que, esta segunda-feira, 9 de maio, Deborah recorreu à mesma rede social para se despedir e partilhar a mensagem que "nunca quis escrever".

Mariama Barbosa sobre a luta contra o cancro. "Ainda estou em tratamentos. É um dia de cada vez"
Mariama Barbosa sobre a luta contra o cancro. "Ainda estou em tratamentos. É um dia de cada vez"
Ver artigo

Deborah confessou aos internautas, que assistiram, atentos, aos altos e baixos dos tratamentos, que "ninguém sabe quanto tempo lhe resta", mas que tinha um sonho que desejava cumprir antes de morrer: "dar mais tempo a mais Deborah's" através da criação do seu próprio fundo solidário: o Bowel Babe Fund.

"Tudo o que peço é que, se alguma vez leram uma coluna minha, seguiram o meu Instagram, ouviram o podcast ou me viram vestida de cocó sem motivo, por favor, comprem-me uma bebida (...) através da doação do valor para @bowelbabefund, que nos permitirá angariar fundos para mais pesquisas que salvam vidas com cancro. Para dar mais tempo a mais Deborah's", escreveu.

Na mesma publicação, a jornalista partilhou com o mundo o projeto e a respetiva página de Instagram, mas, menos de 48 horas depois, este superou quaisquer expectativas alguma vez definidas pela criadora. Não em termos monetários, mas face com que tudo aconteceu. O Bowel Babe Fund arrecadou 2 milhões de libras (cerca de 2 milhões e 342 mil euros) em menos de 48 horas.

"Tinha um número na minha cabeça de cerca de um quarto de milhão, porque pensei que seria suficiente para financiar um bom par de projetos (...) mas em 24 horas atingir um milhão [de libras], estou absolutamente estonteada", começou por dizer, numa entrevista que será emitida no programa "BBC Breakfast", esta quarta-feira, 11 de maio, tal como noticia a BBC.

"Não consigo agradecer o suficiente às pessoas pela generosidade. Significa muito para mim (...) faz-me sentir que estamos estamos todos juntos no final e que todos queremos fazer a diferença", acrescentou.

"O meu corpo não consegue continuar"

A jornalista já havia partilhado com os seguidores, no passado dia 1 de abril, que estava a viver "dias complicados", entre sofrimento e tratamentos. A 14 de dezembro de 2021 confessou, no Instagram, que "tinha perfeita noção de que já não devia estar viva para escrever aquela publicação",  mas só esta segunda-feira, 9 de maio, recorreu à mesma rede social para se despedir do grupo de mais de 500 mil seguidores que tem vindo a acompanhar a sua jornada desde 2016.

"A mensagem que nunca quis escrever. Tentámos de tudo, mas o meu corpo simplesmente já não está a jogar à bola. Os meus cuidados ativos pararam e, agora, estou a mudar-me para um hospício em casa, com a minha incrível família à minha volta. O foco é garantir que não estou a sofrer e passar tempo com eles. Ninguém sabe quanto tempo me resta, mas já não consigo andar, durmo a maior parte dos dias, e a maioria das coisas que tomei como garantidas são agora sonhos", lê-se na mais recente publicação de Deborah James. "Mesmo com todos os medicamentos inovadores e uma nova descoberta mágica, o meu corpo não consegue continuar".

"Em mais de cinco anos a escrever sobre como pensei que seria o meu último Natal, como não veria o meu 40.º aniversário nem veria os meus filhos entrar no ensino secundário; nunca imaginei escrever aquele em que me despedia", acrescentou.

Deborah James recorreu à mesma publicação não só para revelar as últimas atualizações face à sua condição e comunicar a criação do Bowel Babe Fund, mas, também, para deixar uma mensagem de esperança a todos os seguidores. "Aproveitem a vida", escreveu, imediatamente depois de admitir que não tem quaisquer arrependimentos.

Dia Mundial da Luta contra o Cancro. 5 formas de ajudar quem está a passar pela doença
Dia Mundial da Luta contra o Cancro. 5 formas de ajudar quem está a passar pela doença
Ver artigo

Deborah recebeu o diagnóstico em 2016 e, à data, ter-lhe-á sido dito: "tens cancro no intestino em fase 4, incurável, e as tuas hipóteses de chegar aos cinco anos são provavelmente inexcedíveis".

"Há cinco anos, no entanto, embarquei numa vida em que vivia passo a passo, dia após dia. Com noção de que as estatísticas eram horríveis. Menos de 8% sobrevive cinco anos e ainda menos com o meu tipo de mutação. Mas nenhuma estatística geral pode prever o seu resultado. Procurei estudos de casos e exemplos de pessoas que esmagavam [as estatísticas], mas a minha investigação acabou por me fazer descobrir apenas realidades ainda mais assustadoras. Sei que não devia estar viva para escrever isto hoje. Mas o melhor conselho que me foi dado foi o de não pensar muito sobre os "e se", e assumir qualquer desafio que tenho, aqui e agora, e fazer tudo pouco a pouco — e depois podemos ir longe! (...)E não, ainda não sei qual será o meu próximo plano de ação", escreveu Deborah James, em dezembro de 2021.

Cinco meses depois, segundo contou esta segunda-feira, 9, o plano de ação já é certo. "Agora, para mim, é tudo sobre viver um dia de cada vez, passo a passo, e estar grata por outro nascer do sol. Toda a minha família está à minha volta e vamos dançar juntos, tomar banhos de sol e rir (vou chorar!!) em todos os momentos possíveis", rematou.

Pode fazer a sua doação para o Bowel Babe Fund, a fundação solidária de Deborah James, aqui.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.