Na próxima segunda-feira, 4 de janeiro, decorrem as cerimónias fúnebres do fadista Carlos do Carmo, que morreu esta sexta-feira, 1 de janeiro, aos 81 anos, vítima de um aneurisma da aorta abdominal. O velório terá início às 9 horas na Basílica da Estrela, em Lisboa, e a missa de corpo presente está marcada para as 14 horas.

Depois de celebrada a missa, o corpo do fadista Carlos do Carmo vai seguir para o cemitério para dar início ao funeral, cuja localização está ainda por revelar, de acordo com o jornal "Expresso", que cita as informações dadas por um dos filhos do fadista à agência Lusa.

Marcelo Rebelo de Sousa recorda Carlos do Carmo. "É uma perda nacional"
Marcelo Rebelo de Sousa recorda Carlos do Carmo. "É uma perda nacional"
Ver artigo

As cerimónias fúnebres acontecem na mesma data em que o Governo decretou dia de luto nacional em homenagem a Carlos do Carmo, o fadista que ajudou o fado a ser reconhecido como Património Imaterial da Humanidade. Carlos do Carmo foi distinguido duas vezes com graus honoríficos, uma em 1997 pelo ex-presidente Jorge Sampaio e outra em 2016 pelo atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

O fadista poderá ainda ser distinguido, a título póstumo, com a Ordem da Liberdade — intenção que foi avançada numa nota do gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

Zé Manel. "Sei que não posso ser the next big thing duas vezes. Felizmente, já o fui"
Zé Manel. "Sei que não posso ser the next big thing duas vezes. Felizmente, já o fui"
Ver artigo

Carlos do Carmo, nascido a 21 de dezembro de 1939, deixou a 1 de janeiro de 2021 um legado de mais de 50 anos de carreira, músicas emblemáticas como “Lisboa, menina e moça” e "Os Putos" e apesar de se ter despedido dos palcos em novembro de 2019, tinha planeado lançar em breve o álbum “E Ainda?”.

"Preparava-se para editar o seu novo álbum de estúdio, mesmo depois de ter dito adeus aos palcos, há cerca de um ano, quando havia completado 80 anos de idade", avançou a Universal Music Portugal na página de Facebook.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.