Há mais 14 mortes e 2.370 novos casos de infeção em Portugal pelo novo coronavírus. São estes os dados divulgados esta sexta-feira, 27 de agosto, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), no novo boletim epidemiológico referente à evolução da crise sanitária no País.

Até esta quinta-feira, 26, milhares de doses de vacinas contra a COVID-19 foram enviadas por Portugal para os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) e Timor-Leste. Trata-se de um total de 553 mil doses que foram distribuídas pelos vários países, sendo que metade do carregamento (e apenas da vacina da AstraZeneca) foi entregue a Angola, de acordo com o jornal "Público".

Portugal comprometeu-se a dar três milhões de doses a estes países, processo que começou em maio e prevê-se que em setembro "ultrapasse a fasquia de um milhão de doses", segundo o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Francisco André, ao mesmo jornal.

Ensino presencial a 100% e testes à qualidade do ar. O que se pode esperar no regresso às aulas
Ensino presencial a 100% e testes à qualidade do ar. O que se pode esperar no regresso às aulas
Ver artigo

Quanto à vacinação em Portugal, os mais jovens têm sido uma das grandes apostas nas últimas semanas, embora o estado de vacinação não importe para a nova medida que será implementada no âmbito do novo ano letivo 2021/2022, que começa entre 14 a 17 de setembro. Isto porque a Direção-Geral da Saúde (DGS) já fez saber que alunos do 3.º ciclo (do 7.º ao 9.º ano) e do secundário (10.º ao 12.º ano), bem como docentes e não docentes, serão submetidos a um teste à COVID-19 no arranque do ano letivo, independentemente do estado vacinal.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.