O vídeo começou a circular na segunda-feira, 19 de julho, e depressa pôs o nome do eurodeputado Paulo Rangel nas tendências dos assuntos mais comentados no Twitter. Não se sabe quem o filmou, mas as imagens mostravam uma figura embriagada a caminhar pelas ruas de Bruxelas, na Bélgica, até casa.

Após a partilha, inicialmente feita por contas anónimas, seguiu-se uma repartilha em massa que originou uma onda de condenação de vários utilizadores da rede social.

O comentador político Daniel Oliveira, por exemplo, foi um dos que criticou publicamente a divulgação do vídeo. "O vídeo com Paulo Rangel consegue duas coisas: uma identificação de todos com o eurodeputado que está, sem chatear ninguém, a viver o seu momento de diversão; e a demonstração de que há escroques moralistas em todos os campos políticos (refiro-me a quem filma e partilha)", lê-se na mensagem que escreveu na sua conta de Twitter.

#MeteMarquiseNumFilme. Anexo ilegal em apartamento de Ronaldo vira piada cinéfila no Twitter
#MeteMarquiseNumFilme. Anexo ilegal em apartamento de Ronaldo vira piada cinéfila no Twitter
Ver artigo

Fabian Figueiredo, membro da Comissão Política do Bloco de Esquerda, considerou que a divulgação do vídeo era um ato "indecoroso e só pode merecer a mais veemente condenação". "Ninguém pode ser filmado sem a sua autorização. Praticamente tudo me separa do eurodeputado, [mas] ter noites em que ir a pé para casa demora mais tempo, não. Abaixo a hipocrisia", escreveu. Também o eurodeputado Nuno Melo, e membro do CDS, saiu em defesa de Paulo Rangel, argumentando que a divulgação do vídeo "mostra o pior da política e da natureza humana".

"Não conduzia, não matou ninguém, ia a pé, na esfera da vida privada. É atacado cobardemente por quem esconde a mão sem ter virtude, como a cobardia do ato demonstra", lê-se. Luís Aguiar-Conraria, economista, cronista no jornal "Expresso" e professor na Universidade do Minho reforçou apenas a forma como grande parte da rede social se uniu para condenar a divulgação do vídeo em que surge Paulo Rangel.

"Não reagi no início pois não quis contribuir para dar visibilidade ao que não deve ter. Mas isso já lá vai. Mas é bom ver que, às vezes, o Twitter consegue ser de uma sensatez desarmante", escreveu.

A reação de Paulo Rangel e a condenação da violação da vida privada

A reação do eurodeputado Paulo Rangel seria feita na noite desta segunda-feira, perto das 23 horas. Numa publicação partilhada nas suas plataformas oficiais, o eurodeputado começou por enquadrar o momento ocorrido há vários anos em Bruxelas, após um jantar com amigos.

"Um vídeo depois de um excesso num jantar com amigos, há anos em Bruxelas, tornou-se viral. Não sei quem filmou, guardou e só agora divulgou. Deploro que o tenha feito, violando os limites da vida privada", escreve.

No final da mensagem, Paulo Rangel cita a canção "Lisboa que Amanhece" de Sérgio Godinho para se referir a uma vida em que "todos temos glórias, terrores e aventuras".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.