A família de uma criança com 22 meses está a acusar a Nestlé de discriminação. As críticas vem no seguimento do concurso “Bebé Nestlé”, promovido pela marca, que a criança terá ganho com os votos do público. No entanto, o vencedor do concurso anual não foi o bebé em questão e os pais justificam a troca pelo facto de este sofrer de Atrofia Muscular Espinhal.

O concurso tem por base a escolha semanal do “Bebé Nestlé”, escolhido pelo público, sendo que no final do ano é eleito um bebé cuja fotografia é usada em ações publicitárias da marca. Na semana de 8 a 14 de junho Mateus Terra Mendes, uma criança com 22 meses, foi o vencedor com 939. Mesmo assim acabou por não ser o vencedor do concurso.

A situação foi relatada pela mãe, Maria Terra, numa partilha no Facebook. Agradecendo todos os votos, explicou que o filho não foi o vencedor e interrogou-se sobre o facto de ainda haver poucas crianças com deficiência em campanhas publicitárias.

“Partilhem contra o preconceito. Quero agradecer a todos pelos votos no nosso Mateus. Apesar de ser o mais votado e com grande margem não foi o vencedor da semana. É assim o regulamento do concurso. Apesar de ser o mais votado não foi eleito pelo júri da Nestlé Baby & me Portugal como o bebé com a fotografia mais bonita”, começou por explicar.

Crianças na creche com chapéus com hélices para garantir distanciamento. É assim em Arcos de Valdevez
Crianças na creche com chapéus com hélices para garantir distanciamento. É assim em Arcos de Valdevez
Ver artigo

“É assim a tal chamada inclusão social. É assim o nosso país. Uma das maiores marcas de Portugal. Concorremos não pelo prémio. Concorremos pelo reconhecimento e para mostrar que uma criança com deficiência também pode ter mérito e visibilidade. O Mateus é ainda mais bonito por dentro do que por fora Nestlé. Porque será que existem poucas crianças com deficiência em campanhas publicitárias e afins? Vergonha é o que sinto”. A publicação conta com mais de 700 gostos, 269 comentários e mais de mil partilhas.

Contactada pelo "Jornal de Notícias" a Nestlé explicou que “não é o número de votos que determina o vencedor da semana”. Segundo a explicação, o concurso está dividido em duas fases, sendo que a primeira tem o voto do público e a segunda tem o voto do júri indicado pela empresa que é determinante. Este júri terá como critérios o “impacto visual do bebé na fotografia, expressividade, escolha das características do bebé” e ainda uma frase escrita pelos pais. A vencedora final foi uma menina que na primeira fase obteve 695 votos, menos 244 do que Mateus.

Apesar das críticas da família do bebé Mateus, a Nestlé explica que “cumpriu o regulamento” e que “a não discriminação e a inclusão são uma preocupação da Nestlé: todos os bebés podem ser vencedores e todos são motivo de alegria e motivação para a Nestlé”.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.