"Tilray Flor Seca THC 18" é o nome do primeiro produto à base de canábis medicinal que deverá chegar às farmácias já em abril, avança o "Jornal de Notícias". A 1 de fevereiro a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) aprovou a primeira substância à base da planta da canábis para fins medicinais em Portugal — flor seca com THC (a substância psicoativa) — que está já em fase de preparação para ser vendida, mediante receita médica.

O produto está a ser produzido por uma multinacional do Canadá instalada em Cantanhede, no distrito de Coimbra, que também já recebeu aprovação do Infarmed sobre o preço de venda: 150€. Sabe-se ainda que será vendido em sacos de 15 gramas.

O "Tilray Flor Seca THC 18" consiste "em flores secas da planta fêmea de Cannabis sativa L.", explica o Observatório Português de Canábis Medicinal (OPCM), que poderá ser usado para o tratamento de variados sintomas associados a patologias previstas na Lei, somente através de vaporização recorrendo a um dispositivo médico certificado, conforme aprovado pelo Infarmed.

Ténis feitos a partir de canábis? Sim, e são ideia de uma avó e de um neto
Ténis feitos a partir de canábis? Sim, e são ideia de uma avó e de um neto
Ver artigo

Os sintomas que podem beneficiar da eficácia do produto de canábis são a espasticidade associada à esclerose múltipla ou lesões da espinal medula, náuseas e vómitos (resultante da quimioterapia, radioterapia e terapia de HIV e medicação para hepatite C), estimulação do apetite nos cuidados paliativos de doentes oncológicos ou com SIDA, dor crónica (associada a doenças oncológicas ou do sistema nervoso), síndrome de Gilles de la Tourette, e glaucoma resistente à terapêutica. É, no entanto, desaconselhado o uso em casos de epilepsia.

O "Tilray Flor Seca THC 18" é apenas um de três pedidos, "todos referentes a flor de canábis inteira seca", para autorização de colocação no mercado (ACM) submetidos ao Infarmed. Os pedidos "estão dependentes de respostas das empresas às solicitações efetuadas pelo Infarmed", refere Carla Dias, presidente do OPCM. Os produtos em fase de avaliação dizem respeito à flor seca (da Aurora Cannabis) e a um chá medicinal (da RPK Biopharma).

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.