Rita Martins não nasceu vegetariana. Aliás, admite que só teve o impulso de deixar de comer carne na adolescência, graças às habituais dietas típicas desta fase da vida.

Depois de pesquisar sobre formas de se alimentar melhor, começou a ter uma maior preocupação com aquilo que punha no prato, não só em termos de calorias mas, principalmente, quanto à sua origem. "Comecei a tomar consciência de que um bife é, na realidade, um pedaço do corpo de um animal que nasceu para ter aquele fim e passou a sua vida, até ao fim, em sofrimento e que é desnecessário porque há alternativas nutricionalmente completas", explica à MAGG.

Começou por cortar a carne, o peixe, depois os derivados e, hoje em dia, aos 32 anos, adota um estilo vegan — até porque este mindset não está relacionado apenas com a alimentação. Deixou também de comprar marcas que testem em animais e produtos feitos com matéria prima animal.

Nesta jornada, e por ter encontrado algumas barreiras quando o assunto é comer em Portugal sem um bife ou um peixe no prato, criou a página de Instagram @veggiefriendlyportugal, para ajudar a desmistificar o veganismo, até porque continua a achar que a maioria das pessoas ainda pensa em "comida vegan" como algo sem sabor. Nesta página é habitual ver-se fotografias de novos espaços, de experiências que tem em Portugal e no estrangeiro e, no geral, muita comida.

Mas o Instagram passou a ser pequeno para o raio de ação de Rita, que decidiu agora avançar com um guia, a que deu o nome de VeganWay. O objetivo, tal como esclarece, é o de "juntar a maior variedade de negócios e projetos vegan ou com opções, para mostrar que hoje em dia não falta nada a quem adere a este estilo de vida". Além disso, conseguiu juntar uma série de ofertas para motivar as pessoas a experimentarem.

6 receitas vegan inspiradas em pratos típicos portugueses
6 receitas vegan inspiradas em pratos típicos portugueses
Ver artigo

E comecemos pelos restaurantes. No Canabé, por exemplo, na compra de dois snacks vegan tem a oferta de dois sumos; no In Bocca al Lupo é-lhe oferecida uma pizza marguerita vegan na compra de outra pizza vegan de valor igual ou superior; e no Jardim dos Sentidos, ao jantar, só paga um prato dos dois que pedir. Já no Scoop n’ dough, na compra de um doughnut há a oferta de um doughnut clássico.

Mas como o veganismo vai muito além da comida, há também ofertas na compra de experiências vegan em cabeleireiros, roupa e calçado, aulas de ioga e até de pettsitting.

Para começar a usufruir deste material, basta comprar o guia e ativá-lo no site. A partir daí, quando for a um dos locais associados, mostra a oferta, que será validada no restaurante ou loja.

Além das ofertas, válidas até ao final do ano, o livro explica o que é o veganismo e fala também de associações e organizações que defendem a causa e trabalham com o mesmo objetivo: acabar com a crueldade e a exploração animal.

Para já o guia foca-se apenas em Lisboa, mas Rita tem como objetivo alargar o projeto a outras cidades do País.

O guia está à venda no site e também em alguns pontos de venda listados no guia como a a loja Pistácio, e os restaurantes Veganeats e Las Vegan. Custa 19,99€.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.