O fundador da Tesla ter-se-á envolvido amorosamente com a mulher do amigo Sergey Brin e o caso remontará a dezembro de 2021, altura em que ambos visitavam uma feira de arte em Miami.

Isto levou o cofundador da Google (e oitavo homem mais rico do mundo) a pedir o divórcio a Nicole Shanahan, motivado por "diferenças irreconciliáveis", segundo o “Observador”.

Na altura da traição, a relação de Nicole e Sergey já se afigurava turbulenta, ainda que continuassem debaixo do mesmo teto, revelou a mesma publicação, citada pela CNN Portugal. Entre os motivos que conturbaram o relacionamento do casal estão a pandemia e os cuidados prestados à filha de três anos.

Como vai ser o Twitter nas mãos de Elon Musk? Perceba o que pode mudar na rede social
Como vai ser o Twitter nas mãos de Elon Musk? Perceba o que pode mudar na rede social
Ver artigo

Aquando da descoberta da relação extraconjugal, houve alguns pedidos de desculpas (que foram feitos de joelhos, inclusivamente). Segundo o “The Wall Street Journal”, ligado a fontes próximas do caso, Musk ajoelhou-se durante uma festa, arrependido, e Brin terá aceitado as desculpas, ainda que, alegadamente, nunca mais tenham tido qualquer tipo de contacto.

O dono da Tesla foi rápido a vir a público, negando todos estes rumores. Recorrendo à sua plataforma no Twitter, explicou que tudo se trata de "uma treta total" e que só viu “Nicole duas vezes em três anos, ambas as vezes com muitas outras pessoas à volta”. Por isso, esclarece que esta situação não teve “nada de romântico”.

Ainda assim, antecipa-se uma longa disputa legal para o ex-casal, uma vez que Shanahan espera receber mais de mil milhões de dólares (979 205 milhões de euros), valor que, acima do acordo pré-nupcial, o antigo companheiro considera muito elevado, lê-se no “Sapo24”.

E, além de o casamento ter chegado ao fim, segundo o "The Wall Street Journal", a amizade entre os empresários também não sobreviveu para contar a história – ainda que Musk negue que estejam de costas voltadas.

Foi uma amizade de longa data, alicerçada em visitas regulares à casa um do outro, em Silicon Valley. Além disso, Musk, aquando da crise financeira de 2008, recebeu meio milhão de dólares do cofundador da Google para ajudar a Tesla, que lutava para aumentar a produção. Este foi um gesto ao qual o multimilionário respondeu sete anos depois, em 2015, presenteando o amigo com um dos primeiros carros totalmente elétricos da marca.

Esta é mais uma das polémicas às quais o fundador da Tesla está associado – e muitas delas dizem respeito à atribulada vida amorosa (e ao que dela advém) deste que é o homem mais rico do mundo, segundo a "Forbes".

Elon Musk foi pai de gémeos. Mãe das crianças trabalha numa das empresas do CEO da Tesla
Elon Musk foi pai de gémeos. Mãe das crianças trabalha numa das empresas do CEO da Tesla
Ver artigo

Por exemplo, no início de julho, a "Business Insider" publicava documentos que provavam que o empreendedor havia tido dois filhos gémeos com Shivon Zilis, uma das diretoras da Neuralink, a sua empresa de inteligência artificial, com a qual mantinha uma relação secreta.

Contudo, aos 51 anos, Elon Musk é pai não de duas, mas de (pelo menos) nove crianças.

A relação de Musk com a sua primeira mulher, Justine Wilson, foi a primeira a dar frutos – os gémeos de 18 anos Griffin e Vivian, e os trigémeos Damian, Kai e Saxon, de 16. Posteriormente, acabou por ter dois filhos – X AE A-XII, de 2 anos, e Exa Dark Siderael, de 7 meses – com a cantora Claire Boucher, mais conhecida como Grimes na indústria musical, de quem também já se separou.

E não são apenas as paixões do empreendedor que se pautam por alguma turbulência – afinal, as relações que estabelece com os filhos também.

A filha mais velha do empresário (com o nome de registo é Xavier Alexander Musk) não se identificava com o género masculino e, ao mudar de nome, pretendia, simultaneamente, cortar todos os laços com o pai – e isso pressupunha deixar cair o apelido do progenitor. Por detrás das razões pode estar o apoio que Elon Musk já mostrou em relação ao Partido Republicano, conhecido por apoiar leis que reprimem os direitos de pessoas transgénero.

"Já não vivo nem desejo estar relacionada com o meu pai biológico de forma alguma" dizia a filha de Elon Musk no pedido formal de mudança de nome, apresentado em abril, em Los Angeles, lê-se no "The Guardian".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.