Em 2013, Lourenço Ortigão e Filipe Duarte foram irmãos na ficção, na novela da TVI "Belmonte". A ligação manteve além da ficção e evoluiu para uma forte amizade, subitamente interrompida a 17 de abril de 2020, aquando a morte de Filipe Duarte.

Em entrevista a Daniel Oliveira, Lourenço Ortigão relembra a amizade e os conselhos do amigo. "O conselho que trago comigo, de uma pessoa que foi muito importante para mim, o Pipo, é 'não tenhas medo de arriscar'. Às vezes temos medo de arriscar, porque estamos confortáveis, temos trabalho, um bom salário, e custa muito mais desligar e tentar outro caminho do que seguir uma onda que já sabemos que vai continuar", recorda o Kiko da terceira temporada da série da OPTO SIC "O Clube".

"Na altura, isso deu-me muita força. O Pipo não está cá hoje mas as palavras dele ecoam sempre na minha cabeça. E eu, desde que ele foi, consigo que ele esteja presente na minha cabeça e que as palavras dele façam ainda mais sentido", explicou ainda a Daniel Oliveira.

Lourenço Ortigão homenageia Filipe Duarte no dia em que o ator faria 48 anos
Lourenço Ortigão homenageia Filipe Duarte no dia em que o ator faria 48 anos
Ver artigo

Filipe Duarte morreu em abril de 2020, na sequência de um enfarte. Lourenço Ortigão relembra que foi o pai quem lhe deu a trágica notícia. "O meu pai fez a casa do Pipo e eles estiveram lá um mês e o meu pai ligou-me de manhã. O jardineiro tinha ido lá e a nuria, mulher do Pipo, disse que não podiam entrar, que o Pipo tinham morrido. Como a Nuria [Mencia] é espanhola, os jardineiros ficaram confusos e ligaram ao meu pai. O meu pai ligou-me logo de manhã e disse-me. 'eu acho que aconteceu isto'. E, de facto, tinha acontecido isso ao Pipo", recorda Lourenço.

O ator de 32 anos explicou ainda que, mais do que amigo, Filipe Duarte era seu confidente e também ídolo. "O Pipo fez parte da minha vida de uma forma mais íntima do que as pessoas pensam. Nós passámos muitos momentos juntos, só os dois, e o Pipo, a par do meu irmão, foi o meu principal confidente. E, nesta área, o meu principal confidente. Eu idolatrava-o, ou idolatro. Também queria ser como ele, dava valor à forma como ele geria a carreira dele, como escolhia os projetos em que estava inserido, como ele conseguia ter uma boa relação com toda a gente. Era bom profissional, bom colega, bom ser humano, bom pai, bom marido. Sugava tudo dele, pessoal e profissionalmente", relembra Lourenço Ortigão.

Lourenço Ortigão assinou contrato de exclusividade com a SIC em agosto deste ano. No mês anterior, o ator confirmou o fim da sua ligação com a TVI, onde se estreou, em "Morangos com Açúcar", e trabalhou durante 12 anos.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.