Amigos, vinho, boa música e comida de reconhecidos chefs à distância de um "pi" na pulseira do festival? Pode encontrar tudo isto na nova edição do Chefs on Fire, que regressa em 2022 para mais dois dias de gastronomia elevada ao cubo — e com muitas novidades.

A quarta edição do maior festival gastronómico volta a realizar -se em Cascais (o local ainda está por definir, embora a edição do ano passado tenha acontecido no recinto da FIARTIL, no Estoril), nos dias 17 e 18 de setembro, com um cartaz de luxo.

Craveiral FarmTable. No novo restaurante do Chef Alexandre Silva no Alentejo a comida vai da horta para o prato
Craveiral FarmTable. No novo restaurante do Chef Alexandre Silva no Alentejo a comida vai da horta para o prato
Ver artigo

No que diz respeito aos chefs, vai poder provar as iguarias de nomes como Alexandre Silva (Loco e FOGO), Rodrigo Castelo (Taberna Ó Balcão), Louise Bourrat (BouBou’s), Lucas Azevedo (Praia no Parque), Kiko Carvalho (O Boteco - O Talho - A Cevicheria), Nuno Castro (Fava Tonka), Bruno Caseiro (Cavalariça), Henrique Sá Pessoa (Alma), Bruno Rocha (Bairro Alto Hotel), Hugo Brito (Boi-Cavalo), João Rodrigues (Feitoria), Noélia Jerónimo (Noélia e Jerónimo), Pedro Almeida (Midori) e Vítor Adão (Plano), entre muitos outros.

Em 2022, o festival conta com a categoria Rising Stars, dando assim espaço a chefs emergentes e menos conhecidos do público. Entre os vários nomes que vão marcar presença, marque já este: Tiago Penão, que é responsável pela cozinha do asiático Kappo, em Cascais, que a MAGG já teve oportunidade de conhecer aqui.

Para acompanhar tudo o que de delicioso há para provar no recinto do Chefs on Fire, não falta música. O cartaz ainda não está fechado, mas nomes como Carolina Deslandes, David Fonseca, Bruno Pernadas e Luísa Sobral já estão confirmados.

Esta quarta edição será também a última a acontecer exclusivamente em Portugal. "O festival já há muito tempo que captou atenção internacional e temos vindo a ser abordados ao longo dos anos por vários parceiros investidos na exportação do Chefs on Fire, e sentimos que este é o momento", salienta Gonçalo Castel-Branco, produtor executivo e criador do projeto, em comunicado, embora não revele mais detalhes sobre o primeiro país a acolher a internacionalização do conceito.

Mas as novidades continuam: para além da presença dos chefs Rising Stars, o recinto do festival vai sofrer alterações. Pela primeira vez, os chefs cozinham em exclusivo um prato de entre uma de quatro categorias (carne, peixe, vegetariano ou sobremesa), "o que significa a experiência de navegação no festival também se organizará nestas mesmas áreas temáticas", esclarece a organização.

Por último, existe também toda uma nova secção do festival gastronómico. Falamos dos Bites, "resultado de uma curadoria intensa no último ano dos melhores restaurantes do país que são convidados a integrar a programação e a recriar um prato icónico do seu menu, preparado no fogo", avança a organização do Chefs on Fire. A seleção de restaurantes ainda não está fechada, mas será anunciada em breve.

Kappo. O japonês de Cascais sem queijo Philadelphia, mas com niguiris para comer à mão
Kappo. O japonês de Cascais sem queijo Philadelphia, mas com niguiris para comer à mão
Ver artigo

A quarta edição do Chefs on Fire acontece a 17 e 18 de setembro, em Cascais, entre as 12h e a 00h. Os bilhetes estão à venda nas plataformas habituais e ao bilhete diário normal (que inclui 10 doses de comida, 5 bebidas e 5 concertos, por 95€), o festival acrescentou o meio passe diário (cuja diferença é incluir menos doses de comida e bebida - 5 doses, 2 bebidas e 5 concertos por 65€, sempre com a possibilidade de compra de doses ou bebidas extra).

Se preferir, pode adquirir o passe de dois dias (10 doses de comida, 5 bebidas e 5 concertos/dia, 150€), e existe também o bilhete de criança (5 doses de comida e 2 bebidas sem álcool, 20€).

À entrada do recinto, o bilhete é trocado por uma pulseira digital que permite ser acedida através do telemóvel, consultar os consumos e efetuar carregamentos.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.