Quando um ramen que chega a Lisboa teve como ponto de partida Tóquio sentimos a coisa como segura. É quase como aquele conforto que sentimos ao entrar num restaurante de comida chinesa e vemos chineses sentados à mesa.

No Afuri é assim. A cadeia de restaurante começou no Japão, com onze restaurantes em Tóquio e já é uma espécie de meca dos foodies e intagramers norte-americanos, desde que se instalou também em Portland. Nada como um caldo colorido e uma gema mal cozida para a mais recente foto do feed do Instagram, certo?

E parece que já estamos a ouvir os portugueses a hiperventilar por estarem a perder mais um foco para onde apontar os telemóveis. Calma, o ramen chegou até nós.

Novidades sobre sushi. Há brunches, pauzinhos instagramáveis e entregas a 1€
Novidades sobre sushi. Há brunches, pauzinhos instagramáveis e entregas a 1€
Ver artigo

Não que seja uma novidade. O Bonsai já o faz há décadas, o Ajitama prepara-o para um grupo restrito e, perto da Alameda, o Kokoro enche todas as noites e não é só pelo número limitado de lugares.

Mas agora é a vez de o Chiado receber este caldo capaz de fazer esquecer que lá fora estão mais de trinta graus. O Afuri abriu esta semana e apresenta-se como um restaurante japonês que vai muito além do sushi. Prova disso é uma carta que, de tão extensa, vai das saladas aos grelhados, passando pelos niguiris e, claro, pelo ramen.

Os ramens do Afuri custam 14 e 15 euros e podem ser acrescentados toppings extra

Comecemos então pela estrela da casa, sempre servida numa redução feita de frango, moluscos, algas secas e legumes. O best-seller é o Yuzu Shoyo, um ramen feito com caldo de galinha, rebentos de bambu, ovo
temperado, carne de porco chashu, endívia e alga noori (14€). Os mais aventureiros podem lançar-se ao Yuzu Ratan, semelhante ao anterior mas com soja picante (15€) e os vegetarianos também têm opção: o Truffl Miso, feito com feijão preto, chá verde, cogumelos sazonais, óleo de trufas, cebolinha e rebentos de feijão (15€).

Nos grelhados, as opções vão desde Gindara Saikyo Yaki, ou para nós, comuns portugueses e mortais, bacalhau preto marinado em miso e vegetais (20€). Há também costeletinha de porco preparada em lume brando durante 10 horas, favas picantes miso, molho yakiniku, salada de verduras sazonais (12€) e espetos de legumes sazonais, molho de yakitori vegan, pimento shishito, beringela com gengibre, cogumelo shiitake e couve-flor cozida (10€).

Sabia que o sushi já foi usado como moeda de troca? 12 curiosidades
Sabia que o sushi já foi usado como moeda de troca? 12 curiosidades
Ver artigo

E apesar de não ser um restaurante de sushi, também o há e com fartura. Há nigiris e sashimi de toro, salmão, carapau, ovas de salmão, cavala e até enguia. Nos sushi rolls há opções como o Spicy Tua Maki que junta oito peças de atum, cebolinho, alioli picante, pepino, espargos e daikon (9€) ou o Salmon Mki com oito peças de salmão, abacate e pepino (8€)

Morada: Rua Paiva de Andrada 7-13, Lisboa

Horário: 11h-23h45 (não encerra)

Contacto: 968 710 555

E é já com o estômago bem composto que avançamos até à carta de bebidas, essa sim, uma grande surpresa tendo em conta a oferta limitada dos restaurantes japoneses nesta matéria. Há espumantes, champanhes, vinhos, cervejas, cocktails e até whiskeys japoneses. Melhor de tudo, há até provas de saké, que custam entre 18€ e 22€ e permitem provar três variedades. Quando se decidir por um preferido, pode pedi-lo em copo, garrafa ou decantador.

O Afuri está aberto todos os dias, para almoços e jantares, ou apenas para um copo (ou vários, tendo em conta a lista).

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.