"Obicà" significa, em dialecto napolitano, "Aqui está!". E eis-nos aqui, no Obicà Porto, o vigésimo restaurante desta cadeia italiana fundada por Silvio Ursini. Portugal é o quinto país (depois de Itália, Reino Unido, Estados Unidos e Japão) a ter um dos espaço do franchise e o Porto, mais concretamente o nº 12 da Rua da Picaria (ali mesmo pertinho dos Aliados) foi a cidade eleita para abrir o primeiro Obicà. Foi a primeira mas, spoiler alert, não será a última, porque a ideia é começar a expandir a marca a outras cidades.

Ao contrário do que, muitas vezes, são estes espaços de restaurantes franchisados, descaracterizados e assépticos, o Obicà é confortável e acolhedor, com a imprescindível esplanada para os dias (e noites) mais quentes. Não era o caso, por isso optámos por jantar no interior, agradavelmente decorado em tons primaveris, onde se destaca o verde.

obicà porto

O que distingue o Obicà de demais restaurantes italianos? O Mozzarella Bar, a grande estrela dos restaurantes do franchise. Podemos encontrar a exclusiva Mozzarella di Bufala Campana DOP (Denominação de Origem Protegida), bem como a Stracciatella e a Burrata, feitas com leite de vaca da Puglia, no sul de Itália.

Optámos por seguir uma das sugestões do gerente do Obicà Porto, o super disponível e amável Joaquim Botelho e escolhemos a mozzarella di bufala fumada (6,5€). E eis a primeira experiência papilo-gustativo-explosiva da noite. "Fumada" quer mesmo dizer "fumada". Provar esta mozzarella é como estar a enganar o paladar. A textura é firme e cremosa, que associamos a este queijo, mas o sabor é intensamente fumado, quase com um travo a carvão, como se estivéssemos a provar um grelhado acabado de sair de um fogareiro.

obicá porto
Mozzarella fumada

Também provámos a burrata pugliese (6,5€), que estava cremosa, láctea e húmida, como se quer, apenas ligeiramente fria.

obicà porto

Restaurante italiano que se preze tem de ter uma boa focaccia. E o Obicà passou no teste. Este pão, tão típico de Itália mas tão difícil de se conseguir em restaurante, estava morno, estaladiço e, muito importante, vinha servido numa dose mais do que generosa. Provámos a mais simples, com orégãos e flor de sal de Trapani (5,5€) e só nos arrependemos de não ter mais espaço no estômago.

obicà porto
Focaccia créditos: MAGG

A ideia de uma visita ao Obicà é a partilha: com a família, com amigos, com namorado/a ou num first date (o nosso lado cusco diz-nos que havia ali um ou dois), este restaurante é o sítio ideal para ir saltando de prato em prato. Nesta seção há muito por onde escolher, desde as charcutaria / carnes curadas aos quentes (como flores de curgete em tempura ou bocconcini di mozzarella, que vamos ter de experimentar numa próxima visita), passando pelas verduras (tártaro de tomate, alcachofra assada em óleo, por exemplo) e ainda os frios. Desta secção pedimos o mil folhas de atum braseado (10,50€) que, apesar de bom, não estava surpreendente e ao qual faltava um elemento de acidez para quebrar a formosura dos pedaços de peixe.

Mil folhas com atum braseado
Mil folhas com atum braseado créditos: MAGG

Vamos às pizzas que se faz tarde. Aceitámos, meio desconfiados, a sugestão do Joaquim e pedimos a Pizza Verdure (11€). Como o nome indica, uma pizza vegetariana onde a proteína animal é a mozzarella di bufala fumada. E o que aconteceu mal provámos uma fatia foi uma viagem até 2019, àquele tempo em que ainda havia Santos Populares e podíamos andar aos magotes na rua, de manjerico na mão ou a dar marteladas uns nos outros.

Dia Nacional de Itália, ou a desculpa perfeita para pasta, pizza e tiramisu
Dia Nacional de Itália, ou a desculpa perfeita para pasta, pizza e tiramisu
Ver artigo

A combinação da mozzarella fumada com os pimentos verde e vermelho cuidadosamente assados (e ainda com as marcas da pele chamuscada) recria na perfeição os aromas dos Santos Populares: a salada de pimentos, o cheiro a sardinhadas, aquele aroma intenso que só o fumo consegue transmitir. Parece um relato delirante só por causa de uma pizza mas, vão por nós, é mesmo verdade.

Pizza Verdure
Pizza Verdure

Das massas, escolhemos um clássico, a cacio e pepe (11€), que é essencialmente spaghettone com pimenta preta e queijo. Estava perfeita, cremosa, apimentada e ligeiramente salgada.

Cacio e Pepe
Cacio e Pepe créditos: MAGG

Chegados à sobremesa, a gulodice falou mais alto ainda pedimos a degustação de doces (8€), da qual destacamos a torta caprese, um bolo denso e achocolatado feito com farinha de amêndoa. A prova dos nove, claro, tem de ser tirada com um tiramisù.

trio sobremesas
créditos: MAGG

Estava cremoso, com uma quantidade generosa de café que sabia mesmo a café e apenas registamos alguma (mas muito pouca) tristeza com a temperatura demasiado baixa deste típico doce italiano. E porque não queríamos sair do Obicà sem uma recordação, trouxemos connosco uma embalagem de SpaghettOne Gentile, um dos produtos que se encontra exposto (e à venda) nas estantes do restaurante.

Para uma próxima visita, ficámos já de olho no The Italian Brunch, que é servido aos sábados e domingos entre as 12h e as 17h e que tem três variedades de frittata que devem ser de comer e chorar por mais.

Obicà Porto

Rua da Picaria 10, 4000-407 Porto

Reservas +351 911 062 121

Facebook e Instagram

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.