Outono não tem de ser necessariamente sinónimo de chá ou chocolate quente e na equipa da MAGG há até quem descarte a chaleira e dê primazia a um belo copo de vinho. Com ou sem álcool à mistura, com ou sem meias alegadamente pirosas, o que não pode faltar na próxima estação são séries para preencher as tardes chuvosas.

Quer seja para celebrar o regresso do frio ou para afogar as mágoas da despedida do verão, os jornalistas da MAGG reuniram uma lista de oito séries ideais para ver no outono. Sem papas na língua, mas com a ressalva de que há conteúdos para todos os gostos, cá estão elas.

Cinema em casa. Estes 6 filmes marcaram a vida dos jornalistas da MAGG (não nos batam)
Cinema em casa. Estes 6 filmes marcaram a vida dos jornalistas da MAGG (não nos batam)
Ver artigo

"Derry Girls" (Netflix)– Raquel Costa

"Derry Girls" não é para toda a gente. É para quem acha que o humor britânico não tem autocomiseração suficiente e quer elevar a fasquia.

A série passa-se na Irlanda do Norte dos anos 90 e está repleta de referências históricas, tanto políticas como culturais (para os mais novos, o terrorismo já era uma cena na altura. E bem real) e acompanha o dia a dia de cinco miúdas não muito populares, que tentam viver uma adolescência normal num país onde a probabilidade de uma bomba explodir no autocarro da escola era encarada como algo corriqueiro.

Ideal para ver com uma caneca de chá pousada (e não na mão, porque corre o risco de verter o chá devido às gargalhadas). Não há novas temporadas mas as duas que existem estão na Netflix.

"Succession" (HBO) – Catarina da Eira Ballestero

A disfuncional família Roy está de volta. Terceira temporada de "Succession" já tem data de estreia
A disfuncional família Roy está de volta. Terceira temporada de "Succession" já tem data de estreia
Ver artigo

A minha série para o outono vai ser, claramente, "Succession" – que conta com data de estreia marcada para 18 de outubro, na plataforma de streaming HBO. É a minha série favorita do momento e que entra, sem dúvida, para o top de todos os tempos.

Tem personagens extremamente bem construídas. Sou uma "fanzaça" dos dramas da família Roy. Óbvio que é uma série densa, mas, ao mesmo tempo, consegue ser também um bocadinho frenética. "Succession" deixa-nos sempre à espera dos próximos desenvolvimentos e, claro,  da próxima traição no seio familiar.

A disfuncional família Roy está de volta. Terceira temporada de "Succession" já tem data de estreia
A disfuncional família Roy está de volta. Terceira temporada de "Succession" já tem data de estreia
Ver artigo

Seja pelas cores, pela fotografia, pelos atores ou pela história, "Succession" é uma série perfeita para deixarmos o verão para trás. E, claro, para ver assim numa sexta-feira à noite, com um belo copo de vinho tinto. Afinal, nada melhor do que dramas alheios para desligar dos dramas das nossas semanas de trabalho.

“Scenes From a Marriage” (HBO) – Fábio Martins

Vem aí (espero) o tempo frio. Com o fim do verão, a televisão volta, também ela, a encher-se de alguma tristeza para condizer com uma estação que traz dias mais cinzentos, curtos e menos luminosos. “Scenes From a Marriage” não podia ter-se estreado em melhor altura, já que é aquela que vamos odiar acompanhar, devido ao mal-estar físico e psicológico com que nos vai deixar, mas que, apesar disso, transmite aquele conforto bom que as histórias tristes nos fazem sentir. Talvez porque já as vivemos e as superámos. De uma forma ou de outra.

Neste original da HBO, que adapta o filme com o mesmo nome de Ingmar Bergman (também disponível no catálogo português), o foco está num casal protagonizado por Oscar Isaac e Jessica Chastain que parece viver um casamento de sucesso. Mas as brechas vão-se tornando visíveis de episódio a episódio. Essa felicidade, percebemos de início, é uma fachada que camufla o ódio, o ressentimento, a condescendência, a infidelidade e o desamor.

Ao longo de cinco longos e tortuosos episódios, assistimos, impotentes, ao fim de um casamento que podia ser o nosso ou o dos nossos pais. E resta-nos aceitar que, por vezes, nada é para sempre. Mesmo que doa.

"Sex Education" (Netflix)  – Mariana Carriço

"Sex Education" será, sem dúvida, a minha série de outono. Está prestes a estrear uma nova temporada, com data de lançamento previsto para 17 de setembro – e  que, claramente, não vou querer perder. Apesar de o primeiro episódio ter saído em 2019, só em 2020 é que vi o primeiro episódio e o pensamento foi: "como assim, só descobri esta série agora?".

Prende-nos ao ecrã, do primeiro ao último minuto, e é ótima para relaxar. Além disso, é uma série que se adapta bem a todas a gerações e bastante educativa.

Maeve e Otis formam o casal mais improvável e, ao mesmo tampo, mais previsível. Aquele casal que vai ao encontro da célebre frase "os opostos atraem-se" porque na verdade não são assim tão opostos, pelo menos na forma como olham para o mundo que os rodeia. Por todos estes motivos, estou ansiosa para ver como se vai desenrolar a história.

"Gossip Girl" – Inês de Sena

Para mim, nada melhor do que dizer adeus aos dias de sol e calor com os dramas de Blair Waldorf e Serena Van Der Woodsen. Dramas, ódio, (des)amor, raiva, “birras”, luxo, festas, glamour… é o que se pode esperar das personagens de “Gossip Girl” — a original, claro.

Além de ser a minha série preferida, por ser passada em Nova Iorque, traz-me “vibes” de sofá e mantas. Apesar de ter estreado há mais de 10 anos, as intrigas dos jovens privilegiados de Upper East Side continuam a ser bastante atuais e fazem-me ficar colada ao ecrã para saber tudo. O foco são seis adolescentes, mas serão estes os únicos envolvidos em escândalos?

“Gossip Girl” transporta-nos para um mundo sem Covid, mas muito longe da perfeição e parece-me o plano ideal para um fim de semana de outono.

"The Bold Type" (Netflix) – Bruna Gonçalves

Meia dúzia de mulheres a espetar facadinhas nas costas umas das outras e a pisar tudo e todos para chegar ao topo – é exatamente aquilo que não vai encontrar na série "The Bold Type". Com Nova Iorque como palco, somos convidados a acompanhar a vida de três melhores amigas que trabalham numa revista feminina. Às tantas, damos por nós imersos na utópica vida da jornalista Jane Sloan, no alegado amor perfeito de Sutton Brady e, claro, na vida de Kat Edison, que se recusa a assumir responsabilidades fora das paredes do escritório

Embora defenda com unhas e dentes que esta série da Netflix veio para quebrar estereótipos e (tentar) mudar mentalidades, tenho de confessar que o típico conceito de mulher poderosa e independente, que deambula pelas ruas da cidade com o seu casaco longo e copo de café na mão, marca presença assídua ao longo de toda a série.

Quando penso em outono, deparo-me automaticamente com aquela ideia de um sofá cheio de mantas, com barulho da chaleira como banda sonora – o que, para mim, sem ofensa aos que anseiam freneticamente pela estação, é pseudo-deprimente. Recomendo "The Bold Type" não só pela lufada de ar fresco no que às ideias para outifts diz respeito, mas porque traz uma espécie de glamour e elegância a esta coisa de andar na rua atolada em casacos.

"World's Most Amazing Vacation Rentals" (Netflix) – Rafaela Simões

Vamos lá quebrar aqui com "facadinhas nas costas" e histórias dramáticas para falar de uma série com conteúdo diferente mas que, confie, será bastante útil para o futuro. Se estamos no outono e acabamos por ficar mais por casa a ver séries e filmes, então há que rentabilizar esse tempo para planear as viagens das próximas estações, quando o tempo melhora para podermos passear.

A série "World's Most Amazing Vacation Rentals" é a melhor fonte de inspiração para escolher o próximo destino e até dá sugestões de alojamentos estupidamente deslumbrantes e escandalosamente baratos — mesmo num paraíso distante, como Bali. Megan Batoon, Jo Franco, Luis D. Ortiz são os guias desta aventura e lembro-me que foi com eles que descobri um conceito sobre o qual nunca tinha ouvido falar: pequeno-almoço flutuante.

É tão chique como soa e fez parte de uma mansão de luxo apresentada por Luis D. Ortiz, que vai conquistar aqueles que têm gostos mais requintados. Esqueça o chá, esta série é para ver de bloco de notas na mão para começar a fazer a lista dos locais onde vai querer ir.

"This Is Us" (Fox Life) – Maria Nicolau

This Is Us” é a escolha perfeita para o outono e acredite que não se irá arrepender. Esta série deveria ser considerada um clássico, com ela conseguimos viver cada momento num turbilhão de emoções, aprender os valores mais importantes da vidas e lições para as fases mais complicadas.

Desde os cenários até às personagens, conseguimos sentir um reconforto por parte desta inesquecível e bonita história.

Disponível nas plataformas Amazon Prime Video e Netflix.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.