Não sabemos se já marcou a sua estadia de Páscoa no Algarve (com descontos, claro) ou se prefere apostar todas as fichas (leia-se cêntimos) em ovos recheados, folares e até amêndoas. Mas não é preciso ser o génio da lâmpada para saber que, em plena semana de Páscoa, é complicado entreter os miúdos.

Afinal, estão de férias, livres de atividades e trabalhos de casa, e com a energia a roçar os máximos. Mas, calma, antes de pedir ajuda à Nossa Senhora da Cereja, e que tal planear uma maratona de filmes? Com a família toda entre mantas e almofadas, de comando na mão e olhos postos no ecrã.

E se o seu filho fosse "pago" para brincar? Na Páscoa da KidZania, é possível (e há descontos)
E se o seu filho fosse "pago" para brincar? Na Páscoa da KidZania, é possível (e há descontos)
Ver artigo

Até já consegue sentir a paz, certo? Bem sabemos. Para isso, reunimos seis filmes perfeitos para ver em família. Desde os clássicos (que fazem disparar o coração dos adultos) às novidades que deixam os miúdos de olhos arregalados. De um documentário sobre a estrela pop Olivia Rodrigo ao novo filme de "A Idade do Gelo" (que nos faz sentir velhos), espreite a nossa lista.

"A Idade do Gelo: As Aventuras de Buck Wild" (Disney+)

É oficial: estamos velhos. 20 anos depois (sim, leu bem) da estreia de "A Idade do Gelo", eis que surge um novo filme da saga, totalmente focado em Buck Wild.

Se bem se recorda, Buck Wild, a famosa doninha que usa uma pala porque supostamente perdeu um olho enquanto lutava com um dinossauro, apareceu pela primeira vez em "A Idade do Gelo 3" e regressou, em 2016, no filme "A Idade do Gelo 5".

Agora, "As Aventuras de Buck Wild" dá-lhe o destaque que os fãs dizem já merecer há muito tempo. No sexto filme da saga, a história desta doninha cómica ganha profundidade e dá-nos a conhecer a misteriosa Zee, uma nova personagem feminina, que marcou (e de que maneira) o passado de Buck Wild.

"MoonShot" (HBO Max)

Em "Moonshot", estamos algures em 2040 e já há vida além do planeta Terra. Marte é, agora, o destino predileto de todos aqueles que por cá continuam, mas só entra na guestlist deste quarto planeta do sistema solar quem: 1) é um génio e vai acrescentar alguma coisa ao seu desenvolvimento; ou 2) tem dinheiro suficiente para comprar um bilhete astronomicamente caro para o efeito.

No centro da ação temos Walt (Cole Sprouse), que sonha explorar o espaço desde que se lembra de ser gente, mas que tem um emprego cujo ordenado nem chega para pagar todos os cafés que bebe em horário laboral. E Sophie (Lana Condor), uma jovem com uma inteligência acima da média, e o namorado, literalmente, noutro planeta. Walt não abandona a Terra porque não tem dinheiro; Sophie porque tem medo de voar. 

Ainda assim, os dois acabam por entrar na nave espacial que ruma a Marte e, a partir daí, vivem os 35 dias mais intensos das suas vidas.

"Turning Red — Estranhamente Vermelho" (Disney+)

Nunca a adolescência foi retratada de forma tão fofinha como em "Turning Red — Estranhamente Vermelho", que estreou a 11 de março na Disney+.

É que este novo filme conta a história de Mei Lee, uma menina de ascendência chinesa que vive no Canadá, mais precisamente em Toronto, e que se transforma num gigantesco (mas incrivelmente fofinho) panda vermelho, quando fica entusiasmada — que é praticamente sempre.

É um retrato cómico, mas relevante, daquilo que é a adolescência e de todos os dramas que os jovens enfrentam nesta fase. Dramas esses que, à data, parecem roçar o fim do mundo, diga-se.

Desde as mudanças corporais à falta de privacidade provocada por uma mãe invasiva e arrogante, já pode acompanhar as aventuras de Mei Lee na Disney+.

"Nate: Talento Nato" (Disney+)

Qual é o dia mais importante da vida de uma criança? O dia em que a escola anuncia os papéis para a peça de teatro, claro. Vá, talvez estejamos a generalizar, mas para Nate é claramente uma data importante.

Nate Foster sonha em alcançar o papel principal de uma peça da Broadway e, apesar de a escola secundária teimar em dar-lhe papéis que oscilam entre o coro e a árvore estática em palco, recusa-se a desistir.

Sem o conhecimento dos pais, este jovem de 13 anos parte com um colega rumo a Nova Iorque para fazer a audição da peça "Lilo and Stitch: The Musical" e dar início à sua carreira. Na teoria, tinha tua planeado. Na prática, a vida troca-lhe as voltas e acaba por levá-lo a situações, no mínimo, inusitadas. 

Para ver (e rir até não aguentar mais) na Disney+.

"Encanto" (Disney+)

Alerta, spoiler: depois de ver "Encanto", vai querer saltar para dentro do ecrã, pegar em Mirabel e guardá-la para sempre numa redoma de vidro, para que nada nem ninguém a possa magoar.

É que este filme aborda a história da família Madrigal, que vive escondida numa casa mágica nas montanhas da Colômbia. A magia desta cidade alocou a todas as crianças da família um super poder especial, mas Mirabel ficou fora da lista de premiados.

Foi a única criança que não recebeu qualquer dom. No entanto, quando magia desta casa encantada está em perigo, revela-se a última esperança da sua família — e faz de tudo para a salvar.

"Olivia Rodrigo: driving home 2 u" (Disney+)

Se tem filhos adolescentes, provavelmente já ouviu músicas como "Good 4 U" ou "Drivers License" a ecoar casa fora. É que Olivia Rodrigo, a jovem de 19 anos que até já visitou a Casa Branca, tornou-se um autêntico fenómeno (quase) da noite para o dia e o seu primeiro álbum já arrecadou milhões de visualizações.

"Olivia Rodrigo: driving home 2 u" é o pretexto perfeito para conseguir reter os miúdos em frente à televisão e, ao mesmo tempo, perceber o porquê de toda esta loucura. Trata-se de um filme biográfico que acompanha a road trip da cantora entre Salt Lake City e Los Angeles, cidade onde começou a criar o seu álbum de estreia, "SOUR".

Da escrita em estúdio à forma efusiva como é recebida pelos fãs, neste novo filme, que se estreou a 25 de março, vai conhecer um lado mais íntimo desta jovem cantora.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.