Ter uma rotina não é algo negativo e há até quem lide melhor com o facto de acordar todos os dias às 7 horas, tomar um duche, preparar o pequeno-almoço, sair de casa e começar a trabalhar às 8 horas em ponto, para assim ter tempo de responder aos emails. Já em casal o cenário pode ser diferente: é bom ter uma relação sólida com dinâmicas próprias, mas a longo prazo a rotina tem consequências.

Ora vejamos se se identifica com o seguinte cenário: depois de um dia de trabalho, o cansaço é tanto que a vida a dois resume-se a jantar, ver um episódio da Netflix e adormecer no sofá.

Até aqui tudo normal. Pelo menos aparentemente. É que mesmo com uma relação estável e uma vida sexual ativa, o calendário por vezes acaba por marcar sempre as mesmas posições. E isso não é bom sinal: "O dia a dia faz com que, muitas vezes, tudo se torne previsível perdendo-se o investimento de cativar o outro. Muitas vezes a rotina pode começar aqui", alerta Vânia Beliz, sexóloga, psicóloga e esclarecedora de dúvidas do projeto Control Talk.

Control
créditos: divulgação

Ao contrário do que podia pensar, Vânia revela que isto não acontece apenas quando a relação já soma longos anos. Atualmente verificam-se até vários casos nas relações dos jovens, que passado cerca de uma semana do início de uma nova relação, vivida intensamente, já sentem que caiu na rotina. Talvez esteja em causa o fator geracional, mas o que é facto é que, seja qual for a idade, o foco está na forma como os relacionamentos são geridos. 

"As relações precisam de ser vividas com maturidade, investimento e entrega. Durante os primeiros tempos a descoberta e a novidade são fatores que nos fazem ter muitas expectativas", diz à MAGG.

Depois de ser novidade, como gerir a relação?

A primeira palavra-chave é comunicação. Nem precisávamos de dizê-lo, porque seja em que tipo de relação for, a comunicação é crucial para ter feedback do outro — seja positivo ou negativo.

"Alimentar dúvidas e silêncios não nos leva a nenhum lugar. É importante não deixar assuntos para depois mas é igualmente importante não ser impulsivo. E dizer não a qualquer situação abusiva desde o início", alerta a sexóloga Vânia Beliz, acrescentando ainda que os casais devem expressar tudo aquilo que sentem, desde que seja feito com respeito pelo outro.

E um passo para isso pode ser exteriorizar aquilo que muitas vezes pensa mas nem sempre diz. Seja através de uma mensagem ou de um elogio, os pequenos mimos podem fazer a diferença na comunicação e na forma como vê o parceiro: "Dar o outro como garantido também é um erro", refere a sexóloga.

O problema é que às vezes não é só a iniciativa que falha. Os estímulos à nossa volta também acabam por bloquear as relações.

"Sinto que hoje estamos em contacto com muita informação e muitas pessoas, no entanto sentimo-nos sozinhos. Temos casais que passam horas juntos sem trocarem uma palavra, perdidos no seu telefone e computador. Muitas vezes estes aparelhos só resgatam a atenção de quem já não está confortável e a distância vai aumentando", refere a especialista.

Isto para não falar no ritmo de trabalho diário que consome a energia e a disponibilidade para estimular a intimidade entre os casais. A relação não deve, por isso, ficar para segundo plano, porque sem comunicação verbal e física, pode cair na rotina. Estes dois tipos de comunicação não só se relacionam como completam em todos os aspetos de um relacionamento.

"Existem desejos, assim como fantasias, que devem ser partilhados. Outros podem existir apenas na nossa imaginação como motor da nossa excitação. O importante é que os nossos desejos não colidam com o consentimento ou conforto do outro. Ainda temos muitas pessoas em relações que fazem sexo para agradar o outro. É importante que exista prazer para que esse abra a porta ao desejo", refere a sexóloga.

Movimento "Afia o lápis" torna-se viral. Sabe do que estamos a falar?
Movimento "Afia o lápis" torna-se viral. Sabe do que estamos a falar?
Ver artigo

"O amanhã pode já ser tarde"

Desengane-se quem pensa que mesmo uma relação sexualmente ativa não pode cair na rotina. É a própria especialista que garante que isso pode acontecer, simplesmente quando os casais deixam de ter curiosidade ou iniciativa para mudar, ou deixam de se sentir desejados.

Também nestes casos há soluções, desde que haja predisposição para experimentar. "O amanhã pode já ser tarde. É muito importante que o casais entendam que a estratégia de trocar pela novidade pode não ser a mais acertada porque se o desconhecido não for alimentado rapidamente pode chegar ao mesmo. Não desistir e investir é importante — se valer a pena, claro".

Quanto à "novidade" podem ser coisas como um brinquedo ou um preservativo diferente. Ao contrário daquilo a que muitas pessoas associam, explica a psicóloga, a prevenção não é a sua única finalidade. Pode também melhorar o desempenho, quer através das diferentes texturas, quer ao usar os retardantes.

"Há casais que fazem sexo todas as semanas e estão infelizes"

Quantidade não é qualidade. É um lema transversal, que também não fica de fora no que diz respeito a relações. E a intimidade de cada casal decide-se precisamente através do tópico anterior — a comunicação.

"Não acredito em receitas. Acho que a frequência da prática sexual depende da satisfação e intimidade de cada casal. Há casais que fazem sexo todas as semanas e estão infelizes. Não é a quantidade que conta. Importa a iniciativa, a disponibilidade. Se é para despachar, não faça", recomenda a especialista Vânia Beliz.

Mas então como fugir à rotina? A psicóloga e sexóloga deixa-lhe 10 dicas para começar a trabalhar já na mudança. Não se esqueça: amanhã pode ser tarde demais.

Dicas para evitar ou quebrar a rotina

  1. Não se acomode a nada e permita-se sair da sua zona de conforto;
  2. Invista nos preliminares, tantas vezes esquecidos. Entregue-se a uma massagem íntima com um lubrificante de aroma especial ou experimente um estimulador que prepare o caminho para a penetração prevenindo qualquer desconforto.
  3. Melhore a performance experimentando um preservativo retardante ou um vasodilatador;
  4. É importante que o primeiro compromisso seja com o próprio: cuide de si, mantenha-se satisfeito consigo, com o seu corpo, com a sua autoestima;
  5. Dormir e alimentar-se bem é essencial para a saúde e para a energia;
  6. Combata o sedentarismo;
  7. Melhore a comunicação. Não deixe que os silêncios se tornem em ervas daninhas;
  8. Encontre tempo de qualidade para a relação;
  9. Aprenda a gerir o tempo. Afaste-se de fatores que o distraiam e roubem tempo ao outro, como a televisão ou a internet;
  10. Inove na sua intimidade.

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.