Kim Kardashian deixou meio mundo a falar de si desde que desfilou na passadeira vermelha da Met Gala com o icónico vestido que Marilyn Monroe usou para cantar os parabéns ao presidente John F. Kennedy em 1962. Para conseguir vestir a peça — embora apenas por breves momentos, dado que a socialite acabou por usar uma réplica durante o resto do evento —, Kim perdeu sete quilos. Mas se a ideia de perder tanto peso em apenas três semanas lhe parece completamente louca e nada saudável, fomos tentar perceber: é mesmo possível perder tantos quilos em pouco tempo de uma forma equilibrada? 

Quem é Tiago Reis Silva, o personal trainer empreendedor que ajuda a perder peso?
Quem é Tiago Reis Silva, o personal trainer empreendedor que ajuda a perder peso?
Ver artigo

Embora existam pessoas com metabolismos mais rápidos que outros, a ideia de perder muito peso em pouco tempo pode sempre resvalar para os excessos, alertam os especialistas com quem a MAGG falou.

“Qualquer dieta que não seja equilibrada pode ser perigosa, principalmente dietas de excessos ou défices nutricionais”, começa por dizer a nutricionista Magda Roma. "Com essa privação, aparecem sintomas e podem-se desenvolver patologias do foro endócrino ou até mesmo renal. A médio e longo prazo, pode surgir flacidez corporal, queda de cabelo, unhas quebradiças e perda de brilho da pele.”

Magda Roma
Magda Roma, Nutricionista da Clínica Fisiogaspar créditos: Magda Roma

E há atitudes proibidas? "Cortar radicalmente os hidratos de carbono e não aumentar o consumo de proteína sem ser necessário para proteger a inflamação e a função renal”,  alertou a nutricionista, defendendo que as dietas devem ser acompanhadas por profissionais que possam analisar se existe ou não deficiência nutricional e perceber as condições físicas e mentais do paciente. “Costumo dizer que o foco é a saúde, a perda de peso é bónus."

“Não restrinjo os hidratos de carbono, adapto o consumo às necessidades adequadas da pessoa, escolhemos alimentos que tenham vitaminas, minerais, fibra de baixo índice glicémico e promove-se a atividade física e a hidratação”, esclareceu.

A nutricionista reforçou ainda que fazer dieta sem acompanhamento pode “comprometer várias hormonas, tais como as da tiroide", uma vez que estas são proteínas e, para que se formem, precisam de nutrientes como vitaminas e minerais que, sem saber, a pessoa pode estar a restringir na sua dieta.

Também a nutricionista Beatriz Vieira considera essencial que exista um acompanhamento de uma equipa multidisciplinar de forma a promover uma perda de peso saudável. “O plano alimentar deve ser individualizado e personalizado, tendo em vista um balanço energético negativo.”

Beatriz Vieira
Beatriz Vieira, Nutricionista do Hospital Lusíadas Amadora créditos: Beatriz Vieira

“O principal pré-requisito para perder peso é haver um balanço energético negativo (gastar mais calorias do que as que ingerimos)”, simplificou a nutricionista Beatriz Vieira, considerando que as dietas demasiados restritivas e radicais podem levar à anorexia nervosa, bulimia e transtorno de compulsão alimentar. 

“A consulta de Nutrição é fundamental para a adoção de uma alimentação variada, equilibrada e completa, para que a longo prazo sejam atingidos os objetivos de perda de peso", reforça a especialista que também refere que, quando o objetivo é perder peso, “a mudança dos estilos de vida, nomeadamente do padrão alimentar e de atividade física, é imprescindível". "A melhor dieta é aquela que resulta com um determinado indivíduo", conclui. 

O exercício é ótimo para perder peso — mas há que saber o que fazer

"Qualquer pessoa que queira perder peso precisa de ajuda de um profissional”, salienta o personal trainer Tiago Reis Silva, que considera igualmente importante a existência de um plano alimentar. “Quem fizer dieta sem acompanhamento pode correr o risco de ter um défice de vitaminas no corpo e fica sem energia para treinar”, esclareceu.

Tiago Reis Silva
Personal Trainer créditos: Tiago Reis Silva

A nível de exercício físico, o personal trainer assegura que, depende da capacidade de cada pessoa, o treino mais indicado é o intervalado de alta intensidade. "Está comprovado cientificamente que este treino deixa o corpo acelerado por 48 horas e os treinos de baixa capacidade, como as caminhadas, são saudáveis, mas só deixam o corpo ativo durante 12 horas."

“É completamente diferente para o corpo fazer intervalado ou não. Em termos de acelerar o metabolismo o treino mais intenso é melhor, mas a pessoa tem de ser acompanhada por um profissional para não se lesionar”, defende. 

Quando o que está em causa é um processo de perda de peso, o profissional assegura que os melhores métodos de treino para o efeito são o crossfit (treino funcional de alta intensidade), treino de força (musculação) e treino de corrida intervalado de alta intensidade. Dentro de cada método, há a possibilidade de fazer agachamentos, um exercício que o personal trainer também destaca para quem está a treinar para perder peso. 

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.