A falta de saúde oral pode ter impacto na gravidez. Os dentes e as gengivas ficam mais vulneráveis durante a gestação e há estudos que demonstram que mulheres com problemas gengivais têm uma maior propensão para ter partos prematuros. Esta, no entanto, é uma realidade pouco frequente em Portugal.

Quem o diz é Mariana Nunes, médica dentista na Malo Clinic Lisboa, que afirma que a generalidade das mulheres "tem a saúde oral minimamente cuidada". No entanto, é verdade que é durante a gravidez que a doença periodontal se agrava na maioria das mulheres.

Gravidez e COVID-19. Vacina pode ser tomada a partir das 21 semanas de gestação
Gravidez e COVID-19. Vacina pode ser tomada a partir das 21 semanas de gestação
Ver artigo

"A falta de saúde oral pode interferir com a gravidez, principalmente em mulheres que já tenham algum grau de má saúde oral. Se não a prevenirem e tratarem anteriormente à gravidez, durante esse período pode tornar-se mais agressiva devido às hormonas", explica a médica dentista em entrevista à MAGG.

Dentista
Mariana Nunes é médica dentista na Malo Clinic Lisboa créditos: Divulgação

De acordo com a especialista, a doença periodontal, que é uma doença inflamatória, produz naturalmente prostaglandinas, "que são as mesmas hormonas necessárias para dar início ao trabalho de parto".

"Mulheres que tenham essa doença ativa e descontrolada", continua a especialista, podem correr o risco de, caso não seja tratada,  piorar e conduzir a "partos prematuros".

"As mulheres devem ir ao dentista antes de pensar engravidar"

Os principais sintomas podem ser hemorragias na boca, principalmente após a escovagem, gengivas avermelhadas e inchadas e a doença pode ainda provocar dor, salienta Mariana Nunes que refere que, após estes sintomas, as grávidas devem-se dirigir ao médico dentista.

"Quando isto acontece, é grave. Na verdade, as mulheres grávidas devem até ir ao dentista antes de que qualquer coisa destas aconteça. Mas estes são, sem dúvida, sinais de que a pessoa deve ir ao médico e fazer, pelo menos, uma higiene oral."

Se na população geral o aconselhado é que se vá ao dentista, pelo menos, de seis em seis meses, Mariana Nunes refere que as grávidas o devem fazer pelo menos uma vez durante a gravidez, mas o melhor é que, mesmo antes de engravidarem, verifiquem se está tudo bem. "As mulheres devem ir ao dentista antes de pensar em engravidar porque pode haver coisas que têm de ser tratadas antes e não podem ser durante a gravidez. Alguns podem-se fazer, mas não se devem. Contudo, a higiene oral tem total segurança", afirma a especialista.

Com a pandemia da COVID-19, a médica dentista sentiu que foram muitos os portugueses que descuraram as idas ao dentista, e por isso, surgiram mais problemas graves.

"Não temos todos os mesmos riscos porque também não temos todos as mesmas bactérias na boca e por isso a resposta ao desleixo também não é igual. Pacientes que tenham uma maior propensão para o desenvolvimento de doença periodontal, e que tenham ficado durante um ano e meio ou dois anos sem ir ao dentista, agora apareceram com mais perda de osso (que é a consequência mais grave da progressão da doença periodontal) e houve até quem perdesse dentes", diz Mariana Nunes.

Relativamente aos cuidados a ter em casa, a médica dentista realça que qualquer pessoa deve lavar os dentes pelo menos duas vezes por dia e usar fio dentário diariamente.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.