O tempo mudou a forma como a indústria alimentar funciona, cada vez mais massificada e com uma elevada exploração animal. Infelizmente tempo é exatamente o que nos falta quando o assunto é refletir, sobretudo sobre este planeta que precisa cada vez mais da nossa ajuda. Os documentários estão cá para isso, sobretudo se forem baseados em fontes credíveis e apresentarem dados que nos fazem (pelo menos) pensar.

Nós mostramos-lhe cinco que mudaram a mentalidade daqueles que não dispensavam um pão com fiambre ao pequeno-almoço, iam aos rodízios de carne ou até chegaram a comprar um casaco de pele verdadeira.

Plano da semana. 5 receitas com leguminosas para um veganuary de sucesso
Plano da semana. 5 receitas com leguminosas para um veganuary de sucesso
Ver artigo

Bastou um clique no play da Netflix para durante mais de uma hora (ou até menos) se depararem com uma realidade que nunca lhes tinha sido colocada à frente — porque a verdade é que nos supermercados o produto final não tem um apresentação cruel e o ritmo do dia à dia afasta-nos de refletir sobre o processo que fez a comida chegar até às prateleiras.

Estes documentários podem até não mudar nada, mas pode valer a pena ter noção dos dados científicos sobre a influência que a indústria agropecuária tem no planeta — ou sobre as conclusões de vários estudos que incidem sobre o impacto dos produtos de origem animal na nossa saúde.

Começamos por aquele cujo nome talvez seja o mais conhecido, mas as imagens continuam a ser desconhecidas para muitas pessoas.

1. "Cowspiracy"

É quase um clássico no que diz respeito aos documentários sobre a vida (ou o fim da mesma) animal e foi também dos primeiros (2014), depois de "Earthlings", disponível na Netflix para todos aqueles que queiram refletir sobre a indústria animal.

Não vamos mentir: este é aquele tipo de documentário que tem imagens que podem ser consideradas chocantes, mas que mostram uma realidade que durante anos foi escondida. "Cowspiracy" fala precisamente sobre a forma como a indústria está a acabar com os recursos do planeta, mostrando dados como a quantidade de água potável que é necessária para a indústria agropecuária ou a responsabilidade que esta tem na destruição das florestas.

Este é um dos documentários que já transformaram a vida de várias pessoas no que diz respeito à alimentação e modo de vida. No IMDb está classificado com 8,3/10 estrelas.

2. "What the Health"

Foi realizado por Kip Andersen e Keegan Kuhn e chegou à Netflix em 2017. Este não é o típico documentário com imagens da exploração dos animais para alimentação que sempre tentou evitar. Em vez disso, mostra e argumenta, através de comentários de vários especialistas e dados científicos, o impacto que os alimentos de origem animal têm na nossa saúde.

"What the Health" retrata os interesses económicos da indústria alimentar norte-americana, que estão relacionados com os tratamentos de cancro, por exemplo. E este é apenas um dos temas. Além deste, entra em debate a própria fisionomia do ser humano, questionando o facto de precisarmos realmente de consumir animais.

No IMDb está classificado com 7,5/10 estrelas.

3. "Forks Over Knives"

"Forks Over Knives" lançou em 2011 um debate sobre alimentos processados. Este é um documentário que se foca nas doenças degenerativas, como a obesidade e diabetes, que não só são influenciadas por alimentos altamente transformados, como por aqueles de origem animal.

O documentário tem como base uma investigação da nutricionista Collin Campbell e do cirurgião Caldwell Esselstyn e apesar de não falar sobre a exploração animal, mostra que essa pode ser evitada e que o não consumo de animais pode até melhorar a saúde.

No IMDb está classificado com 7,8/10 estrelas.

Vitamina B12. O que é, para que serve e o que acontece quando há um défice?
Vitamina B12. O que é, para que serve e o que acontece quando há um défice?
Ver artigo

4. "The Game Changers"

O nome não é o mais evidente quanto ao tema, mas retrata os benefícios da alimentação à base de plantas nos atletas. "The Game Changers" pode mudar a perspetiva sobre a alimentação vegetariana e vegan, uma vez que uma das principais dúvidas quanto ao tema, e que retarda em muitos casos a mudança, é: "E como garantir a proteína necessária?."

Ao focar-se na alimentação de base vegetal de atletas do Ultimate Fighting Championship (UFC), uma organização de artes marciais mistas (MMA) que produz eventos em todo o mundo, o "The Game Changers" prova que até para quem pratica desporto de alta intensidade, a alimentação vegetariana garante o porte nutricional necessário.

Tudo isto é esclarecido pelos atletas e cientistas que desconstroem no documentário lançado em 2018 tudo o que se pensava até hoje sobre a proteína.

No IMDb está classificado com 8/10 estrelas.

5. "O futuro da carne", "Resumindo" (Temporada 2, episódio 3)

É na série documental "Resumindo", que já vai na segunda temporada, que está o episódio que também nos faz refletir sobre a alimentação de base animal. Até agora, esta é a sugestão mais recente e mais curta de todos os documentários que já apresentámos. Ao contrário dos anteriores, este não se foca no presente, isto é, no impacto da industria agropecuária no ambiente e da exploração animal, mas sim no futuro.

Neste mini documentário, o futuro da carne é apresentado num laboratório, sem qualquer incisão na pele dos animais. Esta é cultivada, e não é à base de plantas, como uma das alternativas que já saiu no mercado, o Behind Burger. O futuro da carne é, para estes cientistas, a carne, mas cultivada. Em apenas 23 minutos, é explicado como é feita e como pode revolucionar a alimentação no futuro.

No IMDb esta série documental está classificada com 8/10 estrelas.

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.