Na gala deste domingo, 20 de fevereiro, do "Big Brother Famosos", foram exibidas as duas curvas da vida que faltavam: a de Marta Gil e a de Mário Jardel. Emocionado, o ex-craque abriu o jogo quanto à sua experiência com a adição ao álcool e às drogas. Também falou da carreira no futebol, dos pais, dos filhos e da noiva, Sandra. "Estou há 13 anos com a Sandrinha. É o meu porto seguro. Sou muito grato de ter conhecido ela", avançou.

Mário Jardel assegurou que sempre teve "o sonho de chegar à seleção brasileira". "Já nasci com o dom. Deus me escolheu e disse 'vai ser você'", argumentou. O ex-futebolista considera que não foi "um grande pai presente" para Mário Jardel Jr. e Victória, os seus dois filhos.

O brasileiro, natural de Fortaleza, recordou a vida profissional dos pais. O pai, César Ribeiro, tinha um negócio de sapataria, mas "perdeu tudo" devido a um incêndio, algo que o afetou imenso. "Ele começou a beber mais, acho que entrou em depressão", revelou Jardel. Este hábito seria a causa da morte do pai do ex-craque. 

O público escolheu: Catarina Siqueira e Mário Jardel são finalistas do "Big Brother Famosos"
O público escolheu: Catarina Siqueira e Mário Jardel são finalistas do "Big Brother Famosos"
Ver artigo

"Minha mãe ficou sem chão", assegurou, devido à morte do companheiro. Maria de Fátima Almeida Ribeiro morreu a 13 de fevereiro, aos 67 anos, vítima de um enfarte, enquanto Mário Jardel estava dentro da casa do Big Brother. O brasileiro, que soube da notícia pela família, optou por continuar no desafio e é agora um dos candidatos ao prémio final.

"Já não tenho ela aqui nesse mundo. Deus a levou no momento mais importante da minha vida", disse, durante a Curva da Vida. "A minha ficha ainda não caiu", revelou, quanto à morte da mãe. Jardel tenciona mudar-se para Portugal e tinha planos de trazer a sua mãe para morar consigo.

"Tive uma overdose em 2002. Fiquei sete dias acordado. Via monstros, via tudo"

"Em 99, tive a curiosidade de provar cocaína", relembrou Super Mário. "Quando eu estava jogando, eu não usava. Me segurei até 2001", adiantou. "Quando eu entrei no Sporting, não queria treinar, não ia para o treino. Eu ia drogado, às vezes", revelou sobre a altura em que deixou de conseguir resistir como resistia ao vício.

"Eu tive uma overdose em 2002. Fiquei sete dias acordado. Via monstros, via tudo. Ao mesmo tempo, eu via Jesus", explicou ao Big Brother. "Então, isso não é vida para ninguém", considera. "Faz um ano e pouco" que Jardel não consome droga. "Bebida faz dois meses e pouco", continuou, reforçando que pretende continuar desta forma.

"Esse caminho torto já passou. É uma página virada na minha vida", garantiu a Cristina Ferreira. "Eu tenho de ser exemplo fora daqui. É o que eu pretendo e quero muito", reforçou. Hoje com 48 anos, Mário Jardel acredita que o Big Brother está a ser a "melhor experiência" da sua vida.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.