Há um grupo que não deve dispensar o exercício: os idosos. Se há alguém cuja capacidade aeróbia, força, equilíbrio, mobilidade, metabolismo e coordenação motora são afetadas pela redução de atividade são os idosos. Este é um grupo em que a preocupação e atenção devem ser redobrada nesta altura.

"Uma das grandes causas de morte no mundo inteiro nos idosos são as quedas. Seja por desequilíbrios, falta de força, ou porque simplesmente têm um acidente. Levam a fraturas com longos períodos de recuperação e as repercussões por vezes são fatais", explica à MAGG o personal trainer Nelson Rodrigues. É por isso essencial que continuem a praticar exercício mesmo em quarentena de forma a que no fim da mesma não ressintam a inatividade em tarefas do dia a dia.

Fazer exercício na quarentena não é uma questão de vaidade, é de saúde. Estas são as razões porque tem de se manter ativo
Fazer exercício na quarentena não é uma questão de vaidade, é de saúde. Estas são as razões porque tem de se manter ativo
Ver artigo

Nelson Rodrigues deixa então algumas sugestões, de caráter geral, para que os idosos possam trabalhar cardio, mobilidade e resistência muscular em geral. Por isso, da próxima vez que ligar ao seu pai, avô ou vizinho ou fizer uma visita da janela de casa, eis o que deve transmitir.

1. Fazer uma marcha estática para promover o trabalho cardiovascular — incluir os braços nesse movimento para promover sincronização, e o acompanhamento da coluna, poderá aumentar a intensidade ao fim de algum tempo;

2. Fazer pequenos saltos afastando as penas e os braços (caso não tenha problemas articulares, nomeadamente joelhos e coluna);

3. Rodar os braços para a frente e para trás, no mesmo sentido e em sentidos contrários;

4. Sentar numa cadeira e levantar;

5. Subir e descer um degrau (com os devidos cuidados);

6. Colocar as duas mãos na parede e fazer uma flexão de braços de forma vertical (com as mãos mais próximas e mais distantes também, para ter estabilidades diferentes);

7. Se tiver um elástico, fazer uns exercícios de puxar para o reforço dos músculos posteriores.

8. Se não tiver, partilhe duas toalhas (uma em cada mão) com um companheiro. Quando um puxa, o outro faz alguma resistência e vice-versa;

9. Fazer uma prancha de mãos numa cadeira. Caso seja fácil, passar para o chão (se não tiver um colchão, utilizar uma toalha para amortecer);

10. Fazer exercícios de respiração e alongamentos para terminar.

O PT aponta para o facto de estes exercícios serem indicados para pessoas com envelhecimento, mas caso tenham patoligias como diabetes, artroses, pressão arterial elevada, hérnias discais sintomáticas, deverão consultar um especialista para saber quais as práticas mais indicadas.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.