Uma mulher de 38 anos montou um esquema para burlar várias pessoas que procuravam casa na zona de Paredes, mas acabou por ser descoberta e vai responder pelos crimes em Tribunal. A questão é que Sandra Eugénia já está presa, precisamente por vários outros crimes de burlas, sendo o mais conhecido aquele em que se fez passar por uma doente de cancro para conseguir dinheiro de muitas pessoas que quiseram ser solidárias e ajudá-la naquela que seria uma fase crítica da sua vida. Mas esta burla teve uma particularidade sórdida: Eugénia usou os próprios filhos para burlar.

Falsa psicóloga viciada em jogo usou nomes do Governo e fez burlas de 1,5 milhões de euros
Falsa psicóloga viciada em jogo usou nomes do Governo e fez burlas de 1,5 milhões de euros
Ver artigo

O esquema era relativamente simples. Eugénia criou um perfil falso no Facebook, em nome de Cátia Costa, que dizia ter um apartamento para arrendar, casa que seria de um dos filhos pequenos, e que, por isso, o dinheiro para segurar o arrendamento deveria ser transferido para a conta da criança. Ao todo, pedia 170 euros de reserva, valor que atraiu muitas pessoas. No esquema, contava com o apoio do marido, de 44 anos. Acontece que a casa não estava para arrendar, não era de Eugénia e os filhos não tinham nada que ver com o assunto. Assim que juntou o dinheiro de muitos interessados na conta, levantou-o e apropriou-se da verba por via da burla. A história é revelada pelo "Correio da Manhã" deste domingo, 8 de outubro.

Atriz e modelo burlam 65 pessoas. Casal fingia estar a recrutar para agências conhecidas
Atriz e modelo burlam 65 pessoas. Casal fingia estar a recrutar para agências conhecidas
Ver artigo

Sandra Eugénia não é propriamente novata nestas andanças. Tanto que está atualmente presa e a cumprir pena por dezenas de burlas. Agora, o novo caso vai chegar ao Tribunal de Penafiel, onde será julgada com o marido. De acordo com a acusação do Ministério Público, citada pelo "CM", Eugénia e o marido obtiveram ao longo do ano de 2021 unicamente rendimentos provenientes de burlas, tendo cometido "dezenas de crimes". O que poderá agravar a condenação, a comprovar-se, é o facto de ter usado os filhos. "Não se inibiu de abrir e utilizar contas bancárias em nome deles de forma a desenvolver a sua atividade ilícita”, está escrito na acusação.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.