A burla que foi conhecida por "Olá, Mãe" ou "Olá, Pai", no WhatsApp, e que levou a que milhares de pessoas fossem enganadas no Brasil, já chegou a Portugal e já começou a fazer vítimas. E não só entre os enganados. O autor (ou um dos autores) deste crime já foi preso pela Polícia Judiciária de Leiria, que confirmou a detenção.

A burla é bastante simples. Várias pessoas recebem uma mensagem no WhatsApp de um número desconhecido que diz "Olá, Mãe, Boa Tarde. Meu telefone caiu e deu problemas no ecrã. Vou ter este número até amanhã", conforme pode ver na imagem que a MAGG partilha, de uma pessoa em Portugal que recebeu a mensagem e a reencaminhou para a nossa redação. Depois, o burlão fica à espera de uma resposta. Há casos de pessoas que nem sequer têm filhos, outras sabem que os filhos não escrevem daquela maneira, mas também muitas caem na rasteira e dão resposta. Quando isso acontece, o burlão, que se faz passar por filho, pede para a mãe ou o pai lhe enviarem um código de MB Way para que possam levantar dinheiro no multibanco, já que estão a precisar. E muitos fazem-no, até porque normalmente são valores baixos.

Cuidado, pais. Burlões do WhatsApp fazem-se passar pelos vossos filhos e pedem dinheiro por MBWay
Cuidado, pais. Burlões do WhatsApp fazem-se passar pelos vossos filhos e pedem dinheiro por MBWay
Ver artigo

Um dos autores desta burla foi detido esta quarta-feira, 26 de outubro, pela Polícia Judiciária de Leiria. Em comunicado, a PJ explica que o homem foi identificado pela "utilização de uma conta bancária, na qual estavam a ser depositados valores oriundos de burlas, através de mensagens de whatsApp", revela o "Correio da Manhã".

A Polícia Judiciária deixa um alerta para que "em momento algum", qualquer pessoa "satisfaça pedidos via WhatsApp ou outras plataformas de comunicação similares", sem confirmarem antes (com um telefonema) a verdadeira identidade para pessoa que está do outro lado do telefone.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.