Leo Brown, um rapaz de 14 anos, foi encontrado sem vida no seu quarto, em Cumbernauld, na Escócia, após tentar a mesma tendência perigosa do TikTok que Archie Battersbee, um menino de 12 anos que acabou por morrer depois de quatro meses em coma. 

“Um dos amigos de Leon disse-me que estavam a fazer o desafio via Facetime, depois de ver vídeos no TikTok”, declarou Lauryn Keating, mãe de Leon, acrescentando que “os amigos viram aquilo como uma brincadeira, uma piada”. 

Conheça o desafio viral Jonathan Galindo, que pode ter levado uma criança de 11 anos ao suicídio
Conheça o desafio viral Jonathan Galindo, que pode ter levado uma criança de 11 anos ao suicídio
Ver artigo

Em entrevista ao jornal "Daily Record", Lauryn disse que só percebeu que algo se passava quando chamou pelo filho e não obteve respostas. A mãe de Leon conta que já conhecia o desafio e faz apelo a todos os pais que deixem os filhos mexer nestes aplicativos online.

Não esperem que os vossos filhos façam estes desafios. Por favor, falem sobre este assunto em casa, mostrem aos vossos filhos que estes desafios online não valem as suas próprias vidas, os gostos ou sei lá o que estejam à procura”, desabafou.

Após a tragédia, Lauryn entrou no TikTok para perceber a quantidade de vídeos associados ao desafio viral e encontrou uma  “quantidade de resultados ridícula”. O Tiktok já havia comunicado que os vídeos relacionados com o desafio foram proibidos e apagados. 

O desafio que circula nas redes sociais, o apelidado Blackout Challenge — em que os utilizadores sustêm a respiração para impedir a entrada de oxigénio até perderem os sentidos — já é anterior ao fenómeno da internet.

Os Estados Unidos identificaram o primeiro caso em 1995 e estendeu-se até 2007, quando o centro de Prevenção e Controlo de Doenças norte-americano já estimava que 82 crianças tivessem morrido por consequência do desafio.

Atualmente, nos EUA,  já há processos judiciais a decorrer e, entre eles, uma queixa apresentada pelos pais de duas meninas de 7 e 8 anos, em julho deste ano.

Leon faleceu no dia 25 de agosto, mas os casos continuam a multiplicar-se. O mais conhecido é o de Archie Battersbee , que foi encontrado inconsciente no seu quarto, em Essex, no dia 7 de abril, passando quatro meses em coma induzido atéfmorrer. A primeira declaração da mãe de Leon refere Archie: “O meu filho morreu a tentar o mesmo desafio que Archie Battersbee”.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.