Depois de um longo processo de adoção de uma criança autista chinesa, a youtuber Myka Stauffer anunciou esta terça-feira, 26 de maio, que ela e seu marido, James, deixaram o filho adotivo permanentemente com outra família por problemas comportamentais não especificados, avança o "BuzzFeed News".

Numa publicação no Instagram a 16 de fevereiro, Myka Stauffer já tinha dado conta de que os últimos tempos não estavam a ser fáceis, altura em que ainda não se previa o desfecho final. "Nas redes sociais e no YouTube, raramente mostramos comportamentos ou coisas difíceis, porque fazemos o possível para respeitar a privacidade e a dignidade dos nossos filhos. Temos dias difíceis, muitos deles. Gostaria que o trauma de autismo e a adoção tivesse um manual para orientá-lo em tudo", escreveu.

Gritam, protegem demasiado os filhos e vivem em função deles. Psicóloga aponta os 8 maiores erros dos pais
Gritam, protegem demasiado os filhos e vivem em função deles. Psicóloga aponta os 8 maiores erros dos pais
Ver artigo

Contudo, o vídeo em que o casal confirmou que Huxley, o filho adotivo, já não fazia parte da família levantou uma onda de comentários entre influenciadores e youtubers, ao mesmo tempo que entre os 713 mil subscritores do canal, surgiam vários comentários de apoio.

Os advogados do casal, Thomas Taneff e Taylor Sayers, disseram em comunicado ao "BuzzFeed News" que Huxley não foi colocado no sistema de adoção, porque decidiram "selecionar manualmente uma família que está equipada para atender às necessidades de Huxley".

Os mesmos advogados, a par do processo, revelam que esta foi uma decisão tomada com aconselhamento de profissionais: "Desde a adoção, eles consultaram vários profissionais nas áreas de saúde e educação, com o objetivo de dar a Huxley o melhor tratamento e atendimento possíveis. Com o tempo, a equipa de profissionais médicos aconselhou os nossos clientes no sentido de que poderia ser melhor para Huxley ser colocado noutra família. Esta é uma notícia devastadora para quaisquer pais".

Processo de adoção

Tudo começou em julho de 2016 quando o casal lançou o vídeo intitulado "Grande anúncio! Bebé 4", para contar que estavam a planear adotar um menino da China e que consideraram também adotar uma criança de "Uganda ou Etiópia" se essa adoção fosse aprovada.

Entre esta data e o fim do processo, decorreram mais 27 vídeos sobre o assunto e algumas ações de sensibilização para angariar fundos de forma a garantir as necessidades não especificadas de Huxley. Além da angariação, surgiu também um vídeo patrocinado em 2017 cuja legenda anunciava que os lucros serviam para trazer o filho da China.

Eis então que chega ao YouTube o título "vídeo de adoção emocional de Huxley", para mostrar o tão esperado filho adotivo, na altura com apenas 2 anos. O vídeo foi um enorme sucesso no canal de Myka e foi visto mais de 5,5 milhões de vezes.

Num artigo anterior a este anúncio, Myka revelou que foram informados pela agência de Huxley que tinha um "tumor cerebral" e que apesar de ao principio não estarem abertos à ideia de receber uma criança com necessidades especiais, deixaram "a ideia absorver" e "Deus amoleceu os nossos corações", escreveu.

Mãe de 5, em teletrabalho, explode quando a professora dá negativa a um dos filhos. "Estou simplesmente sem energia"
Mãe de 5, em teletrabalho, explode quando a professora dá negativa a um dos filhos. "Estou simplesmente sem energia"
Ver artigo

“Ele é um ótimo menino e a sua condição não requer muito cuidado em geral — tudo o que precisa é de um grande coração e praticar a paciência todos os dias. É um tipo diferente de paciência”, escreveu a youtuber num dos artigos que começou a escrever para blogs e revistas para pais, citado no "BuzzFeed News".

Já numa entrevista para a "Moms", Myka revelou mais alguns desafios da adoção, mas insistiu que tudo valia a pena no final. Contudo, a revelação desta terça-feira mostra que toda a motivação para lidar com o filho com autismo de tipo três acabou por desvanecer.

Entre o fim do inverno e no início da primavera os seguidores de Myka começaram a notar que Huxley deixou de aparecer nos vídeos, o que levantou algumas dúvidas sobre o que se estaria a passar. Algumas pessoas começaram a criar contas no Instagram, como Justice for HuxleyMykaStaufferFan, para pressionar Myka a responder às perguntas. A autora da conta MykaStaufferFan chegou mesmo a ser bloqueada por Myka quando perguntou o que se passava, revelou ao "BuzzFeed News".

Contudo, no vídeo em que deram a notícia de que Huxley já estava com outra família, o casal justificou que ficou em silêncio até agora para dar privacidade a Huxley e que por outras razões legais que não iriam abordar. Myka acrescentou que "99% das lutas" nunca foram partilhadas no canal do YouTube pelo mesmo motivo. Num comentário no vídeo, Myka acrescentou que "várias coisas assustadoras aconteceram dentro de casa com os nossos outros filhos", disse a mãe de mais uma menina e um rapaz.

Sucesso no canal

Ao longo do tempo, Huxley já não era só o sonho do casal, mas a criança que começou a ser admirada no YouTube e até a inspirar pais de todo o mundo. Os assinantes do canal de Myka aumentaram para o dobro entre outubro de 2017 e outubro de 2018, de acordo com o Social Blade, além seguidores no Instagram, que vão já nos 190 mil.

Alguns vídeos do YouTube ganharam até patrocínios e foram alcançadas parcerias com marcas como Glossier, Good American, Fabletics e Ibotta.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.