Foram precisas 36 horas após a explosão no reator quatro da central nuclear de Chernobyl para o governo evacuar a população. Nessa altura foi finalmente definida uma zona de exclusão, com um perímetro de dez quilómetros — um número bastante mais pequeno do esperado, uma vez que a radiação chegou à Suécia, a mais de mil quilómetros da então União Soviética.

Com a promessa de que voltariam a casa em breve, 49 mil pessoas, residentes sobretudo em Pripyat, na Ucrânia, deixaram quase tudo para trás. Cerca de uma semana depois do acidente a zona de exclusão passou para 30 quilómetros, levando à retirada de mais de 135 mil pessoas. Definida em 1986, ano em que ocorreu o desastre, ainda hoje é proibido atravessar este perímetro sem autorização.

50 fotos que mostram como era Pripyat antes do desastre de Chernobyl
50 fotos que mostram como era Pripyat antes do desastre de Chernobyl
Ver artigo

Vasily Ivanovich Gorokhov foi o primeiro chefe da zona de Chernobyl. O título oficial do cargo era Diretor-adjunto da Central Nuclear de Chernobyl para a Descontaminação e Conservação da Cidade de Pripyat. Com 250 funcionários civis e unidades militares a seu cargo, Vasily Ivanovich Gorokhov tirou mais de mil fotografias dos trabalhos realizados na altura.

É um verdadeiro arquivo fotográfico que conta como tudo aconteceu. Desde as primeiras manobras de limpeza até à construção do Sarcófago, aquele que cobriu o reator quatro da central de nuclear, as imagens foram tiradas entre 1986 e 1987 e partilhadas no site Pripyat City, dedicado à cidade. O nome do álbum é "Obras de desativação de Pripyat".

Reunimos as 60 melhores fotografias.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.